O Instagram tem um histórico de tomar decisões que não agradam tanto os usuários — lembra da timeline ordenada por algoritmos? Segundo o Wall Street Journal, a rede tem planejado implementar novos recursos para fazer você ficar mais tempo na rede, no caso, algo muito parecido com vídeos do YouTube.

O Instagram agora mostra a última vez que seus contatos estiveram online
O Instagram começou a dedurar algumas pessoas que tiram prints de Stories

De acordo com o jornal norte-americano, citando fontes que não puderam se identificar, o Instagram planeja estender o limite de um minuto para uma hora — uma diferença de apenas 59 minutos a mais. O esforço da rede tem sido acompanhado por criadores e produtores de conteúdo que foram convidados a fazerem vídeos longos especificamente para o Instagram. Diz a publicação:

A plataforma de propriedade do Facebook está preparando o lançamento de um novo recurso que vai incluir vídeos de longa duração, de acordo com pessoas com conhecimento sobre o assunto. A funcionalidade, que poderia permitir vídeos de até uma hora de duração, será concentrada em vídeos na vertical ou vídeos que são mais altos do que largos. Até agora, o Instagram não permitiu que usuários postassem vídeos com mais de um minuto.

As fontes do jornal dizem que os planos são experimentais e estão sujeitos a mudanças.

Nas últimas semanas, o Instagram teve conversas com criadores de conteúdo e editores sobre a produção de vídeos de longa duração para a plataforma, segundo uma pessoa com conhecimento sobre o assunto. O recurso, se lançado, será disponibilizado dentro do app do Instagram, segundo outra fonte.

Em outras palavras, o Instagram parece estar dando uma pausa de pegar coisas do Snapchat para tentar entrar na seara do YouTube. Isso faz sentido por uma série de razões — uma delas é que o YouTube está entre as plataformas mais acessadas por jovens, que estão abandonando o Facebook em massa nos EUA, então faz sentido mudar a estratégia para algo que já esteja funcionando. O Instagram adicionou uma série de recursos de vídeo nos últimos anos, mas vídeos de longa duração representariam uma grande mudança de estratégia.

Como aponta o Wall Street Journal, o Facebook tem expandido sua oferta de vídeo com o objetivo de faturar sobre o que Mark Zuckerberg acredita ser uma “mega tendência”. De fato, é uma tendência, mas, nesse caso, parece ser simplesmente uma decisão voltada para a empresa ganhar mais dinheiro com publicidade do que algo que os consumidores necessariamente queiram. As tentativas desastradas do Facebook de fazer as pessoas verem mais vídeos e propagandas na plataforma têm acontecido já há alguns anos.

Por exemplo, a rede social tem investido dinheiro na seção Watch (indisponível no Brasil), uma plataforma de vídeos originais da rede social, que, em sua estreia no ano passado, não tinha muitas opções. A situação não parece ter melhorado muito. O Digiday noticiou que, em março, o Watch estava sob uma direção estratégica confusa e fora abandonado por alguns produtores de conteúdo, que perceberam que o Facebook não tem interesse em dividir receitas de forma igualitária com eles. Além disso, a rede não descobriu uma forma de oferecer uma experiência em vídeo capaz de tirar a audiência de serviços como YouTube e Netflix.

Diante desse cenário, vídeos no Instagram podem ser uma tentativa de atacar o problema por outro ângulo. Como destaca a Variety, o Facebook está determinado a monetizar seus milhões de usuários ativos, além da porção de usuários que utiliza Stories diariamente. Agora, se não tiver demanda para vídeos longos no Instagram, esse pode ser mais um exemplo do Facebook tentando tirar leite de pedra.

[Wall Street Journal]

Foto do topo por Pixabay