Redes sociais estão cada vez mais cheias de posts que ninguém quer ver e, infelizmente, o Instagram não vai ser diferente. Ninguém com quem conversei sobre a nova função de posts “recomendados” de completos estranhos aparecendo na sua timeline gostou da mudança. Tudo bem que as pessoas com quem conversei fazem parte de um pequeno grupo composto quase que exclusivamente de outros jornalistas de tecnologia. Mas eu não gosto da nova função. Mas também não sei explicar bem o motivo.

Na hierarquia de posts irritantes, eu colocaria os recomendados do Instagram abaixo das notificações “caso você tenha perdido” do Twitter (pelo amor de Deus, pare) e das insistentes notificações do Facebook que me dizem quais eventos pessoas que vi uma ou duas vezes na vida irão, mas ainda um pouco acima dos posts promovidos por anunciantes. Até onde se sabe, o Instagram não vai enviar notificações sobre estes posts que ninguém pediu, mas também não fornecerá uma opção para desativá-los.

Parte disso deve influenciar como uso a rede de fotografias. Diferente do Twitter, o meu Instagram é composto quase que inteiramente por amigos próximos. Enquanto, em teoria, qualquer pessoa poderia optar por abranger seus horizontes sociais e intelectuais, não consigo imaginar uma versão do Instagram onde refeições, viagens e observações de pessoas que conheço há anos seriam melhoradas com o conteúdo de gente que não faço ideia de quem se trata. E tudo isso numa tentativa meia boca de aumentar o uso (leia-se: potencial viciante) do Intagram em, acredito, satisfazer anunciantes.

Tenha em mente que, o Instagram já tem um método para encontrar novos usuários na aba explorar, mas essa mudança sugere que não há gente o suficiente a usando.

Temos ainda que considerar que essa é mais uma mudança que afasta o Instagram de sua missão original. A primeira, a mais pessoalmente onerosa, foi o abandono da linha do tempo cronológica. Ver um amigo, por exemplo, em um restaurante que fui recentemente poderia incentivar o envio de uma mensagem de texto recomendando um prato. (Sinto o mesmo da função ‘stories’, que existe apenas para que o Facebook pudesse competir com o sucesso do Snapchat. Sinta-se a vontade para discordar. Sei que muita gente gosta dela.)

E em tudo isso existe uma estranheza. Quem são essas pessoas cujos posts estou vendo? Elas optaram por esse novo esquema? As minhas fotos estarão visíveis para pessoas que não sigo ou não quero seguir?

Existem boas maneiras de recomendar conteúdo fora da sua rede – o Tumblr é um ótimo exemplo – mas essa não é uma delas. Mas também sou conhecido por ser pouco confiável, pessimista e um chato sobre a maioria das coisas.

Então vamos ouvir você, querido leitor – você também está animado que terá um Instagram mais diversificado, ou essa nova função é tão incomoda como eu acho que é? E em ambos os casos, por quê?