A Intel lançou oficialmente no Brasil a sua 7ª geração de processadores Intel Core, nesta quinta-feira (23), durante evento em São Paulo. Construída com a arquitetura de 14 nanômetros, a família Kaby Lake, como também é conhecida esta geração, já está presente em mais de 20 produtos disponíveis no mercado brasileiro, em parceria com 14 fabricantes.

• Como escolher o processador e a placa-mãe certos
• O que você precisa saber sobre o Ryzen, processador da AMD que veio bater de frente com a Intel

Diante do cenário de expansão dos eSports, a Intel não quer ficar de fora da brincadeira, e os games são o principal foco desta 7ª geração de processadores. Com a família Kaby Lake, é possível rodar jogos populares, como Overwatch e League of Legends, nas configurações médias, sem a necessidade de uma placa de vídeo dedicada. Maior audiência gamer da América Latina e 3ª maior do mundo, o Brasil desponta como um dos grandes polos do crescimento desta nova categoria de esporte e, com 40 milhões de gamers conectados todo mês, 51% deles tendo o PC como plataforma, e esse cenário fascina a equipe de marketing da Intel.

Veja também: O Project Alloy da Intel tem uma das melhores experiências de realidade virtual

“Se você não pegar nenhuma dessas estatísticas, mas colocar na TV, verá que tem algo mudando. Você tem quatro emissoras de televisão transmitindo eSport. Para estarem transmitindo, é porque isso está pegando fogo. E é por isso que a gente está focando neste mercado no Brasil”, afirma Maurício Ruiz, diretor-geral da Intel Brasil.

Leia mais: Intel i7 vs. Intel i5: como se saem os novos processadores da geração Kaby Lake

Apesar de destacar que você pode jogar com qualquer processador Core i3, i5 ou i7, Ruiz ressalta que “a linha que a gente olha para os gamers são as linhas que chamamos de unlocked, em que eu posso aumentar a frequência, fazer um overclocking do produto”. E, nesse sentido, o mais novo produto da Intel para gamers deve chegar ao Brasil ainda no próximo trimestre. O novo Core i3 unlocked, de dois núcleos, tem como público-alvo jogadores casuais em busca de algo que caiba mais facilmente no orçamento.

“Para muitos jogos de entrada, você não precisa de uma placa gráfica, ela vai fazer pouca diferença, mas vai aumentar o seu custo”, avalia Maurício Ruiz.

Troca de máquinas

Outro grande foco da Intel no Brasil para 2017 é a troca de máquinas. Os números levantados pela empresa revelam que 40 milhões de pessoas têm um PC com mais de quatro anos de uso em casa. Esse cenário evidentemente é reforçado pela crise econômica pela qual o País passa, mas os dados iniciais deste ano dão um indício à companhia de que o momento pode ser apropriado. A Intel vendeu 9% a mais no varejo no primeiro bimestre de 2017 em comparação ao mesmo período em 2016. Daqui para a frente, o desafio da empresa é seduzir o consumidor, que tem postergado a troca de equipamentos. “A gente pega essa arquitetura, traz para o mercado com designs e desempenho melhores para estimular o consumidor a fazer a troca de seus PCs”, explica Ruiz.

Vídeos 4K

Como antecipamos há algum tempo, a reprodução e edição de vídeos em 4K é outra das grandes vantagens que a Intel busca trazer com a família Kaby Lake. Ela é a primeira linha de processadores de PC que permite assistir a programas de TV e filmes nativamente em 4K, contanto que o monitor suporte a resolução, claro. Ou seja, os chips decodificam vídeo HEVC 10-bit. Antes, esse tipo de conteúdo exigia placa gráfica dedicada.

O Kaby Lake ainda lida bem com vídeos em 360 graus e 4K na edição, conseguindo converter uma hora de vídeo em 4K em um software de edição em apenas 12 minutos, deixando o completamente renderizado e pronto para ser enviado para a internet.

Eficiência no consumo de energia

Outro dos benefícios destacados no lançamento da nova geração de processadores foi a maior eficiência no consumo de energia. Usando a mesma energia do Skylake, mas de forma mais eficiente, o Kaby Lake possibilita que funções de processamento intenso, como a renderização e reprodução de vídeos em 4K, jogos e edição de fotografia, usem menos bateria do que em outros modelos. Mais eficiente, os processadores da 7ª geração também geram menos calor, o que possibilita sua presença em notebooks menores e mais finos que aqueles do Skylake.

A aceleração de hardware dedicada também reduz o consumo de energia significativamente, permitindo uma duração três vezes maior da bateria.

***

Destacando a estabilidade dos preços dos processadores e atribuindo o aparente aumento no Brasil ao enfraquecimento do real perante o dólar no ano passado, Maurício Ruiz contou que a sétima geração terá o mesmo valor de entrada da sexta. Já disponível no varejo, a 7ª geração de processadores da Intel está presente em mais de 40 opções de CPU, espalhada por diversos modelos, com diferentes faixas de preço.