O Intel Developer Forum está chegando ao fim: é quando os executivos da empresa começam a mostrar alguns dos conceitos malucos que a gigante da tecnologia está preparando. Entre eles, temos um processador tão eficiente que obtém toda sua energia a partir de uma taça de vinho tinto.

A dra. Genevieve Bell, diretora da divisão de pesquisas na Intel, colocou dois eletrodos baratos em uma taça de vinho, que então reagiu com o ácido acético na bebida para criar uma pequena corrente elétrica.



Só isso já era o suficiente para alimentar um chipset de extrema baixa potência. Ele então rodava um programa simples de gráficos, controlando uma flor 3D em uma tela (imagem acima). Claro, ele não é capaz de tarefas mais pesadas – como rodar o Windows – mas a Intel acredita que esses chips de ultra-baixa potência são o futuro, especialmente quando se trata de conectar pessoas em países menos desenvolvidos.

Outra pequena inovação esperta da Intel envolve um acelerômetro sensível, configurado para reconhecer o estilo de andar da pessoa que o segura. Como o celular sabe que está sendo segurado por você, ele desbloqueia a tela mais rápido. É algo ainda mais prático do que digitar senhas ou usar sua impressão digital – mas ainda é um conceito para o futuro.

Durante a IDF 2013, a Intel também apresentou o Quark, seu pequeno processador móvel; o Bay Trail, voltado para tablets e híbridos com Windows 8 e Android; e novos Chromebooks com processadores Haswell. [The Register e PCWorld]