Uma das melhores coisas de um iPod gigante como o iPad é o espaço que você tem, literalmente, para soltar sua imaginação. Se você quer não apenas consumir entretenimento, mas produzir filmes, músicas e dar aquele tapa artístico na foto, há milhares de apps disponíveis. Veja o que você precisa para soltar o seu artista interior no iPad – e o que você ganha no iPad 2:

Música

GarageBand (US$ 5): Provavelmente o app mais bacana do iPad 2, permite que você crie músicas inteiras. Talento não é necessário – mas ajuda, claro. Além de poder gravar até 8 “pistas” de áudio, o programa vem com teclados, guitarra/violão, baixo e bateria. Dá para tocar cada instrumento nota por nota ou segurando os acordes e deixando o app fazer arpejos na guitarra ou seguir uma escala pentatônica no piano. Plugando no iPad uma guitarra (com o iRig), abrem-se opções de pedais e amplificadores cheios de efeito. Imperdível.

 

http://www.youtube.com/watch?v=KARq9YU1_B8

DJay (US$ 20): Os apps musicais do iPad são de encher os olhos, e este é outro exemplo. Comande a festa com as suas próprias mixagens profissionais em uma interface matadora. Há algumas funções específicas do iPad 2, mas o mais impressionante é a velocidade com que ele detecta as BPMs de cada faixa, para você saber qual música exatamente da Lady Gaga você pode colocar depois da sua favorita da Britney.

 

Virtuoso Piano Free HD 3 (Grátis): Como diz o nome, este é um piano virtual, em HD, e grátis. Se você sabe tocar piano ou quer aprender, pode ser divertido. Do contrário, só vai fazer barulho. A vantagem deste (além do preço) é a qualidade do som das teclas.

 

Magic Piano HD (Grátis): Se você não sabe tocar piano, mas quer se aventurar sem o risco de fazer só barulho, baixe isto já. Todo dia há músicas novas que você pode tocar como mágica, apenas tocando na tela no ritmo certo. É um piano “torto” (as teclas ficam em espiral) que funciona bem como “guitar hero” para música clássica. É muito gostoso.

 

KORG iMS-20 (US$ 16): Se as telinhas assustam, você já tem um sinal: este app é uma imitação de um complexo sintetizador analógico, então saiba onde você está se metendo antes de comprar. Com paciência, tempo e um bocadinho de talento, dá para fazer coisas realmente impressionantes – tanto que é um dos favoritos dos profissionais e um dos apps mais usados para fazer o último CD dos Gorrilaz, todo composto no iPad.

 

Drums! (US$ 1): O que mais tem na App Store é aplicativo para batucar na tela e se achar baterista. Mas o Drums! é provavelmente o melhor deles, pela beleza do som e, mais importante, a maneira com que ele te ensina a tocar alguns clássicos na bateria.

 

Fotografia

Photoshop Express (Grátis): O Photoshop de bolso traz uma experiência de edição de imagens bem simplificada, mas que dá uma mão em vários momentos e é rápida. Incontáveis vezes eu já precisei da função de rotacionar uma imagem.

 

Photogene (US$ 3): Filtros, ajustes de cor/saturação/contras/etc, edição aplicação de texto em balõezinhos… como diz a descrição do app: “melhore as suas fotos enquanto se diverte”.

 

http://www.youtube.com/watch?v=tEX6Rh8SHc4

Phoster (US$ 1): Você já tirou alguma foto que daria um belo cartaz? Com o Phoster, ela pode virar. O app dá uma bela ajuda com a tipografia, inclusive. No Flickr tem uma galeria com imagens dos usuários.

 

Diptic (US$ 2): Você sabe o que é um díptico, um tríptico ou um políptico? Ok, esse último eu inventei. Mas fazer composições geométricas com diversas fotos e aplicando molduras e efeitos rápidos é surpreendentemente bacana. Se o filme A Origem te convenceu que um sonho dentro de um sonho é legal, o Diptic faz quase o mesmo com as suas fotos, oferecendo 19 layouts para as suas composições.

 

Color Splash (US$ 1): Ah, o sempre popular efeitinho de tirar a cor da foto inteira, menos de algum objeto. Sempre fica bacana. E, com este app, é fácil de fazer e compartilhar.

Pintura

http://www.youtube.com/watch?v=uZ44S17mHO4

SketchBook (US$ 5): Está aqui o app definitivo para quem quer usar os dedos como pincéis na tela – e que toma partido da melhor performance do iPad 2. Há camadas, texturas, textos e gestos para atalhos. Com tantas funções, a sua criatividade e técnica são os limites.

 

Brushes (US$ 8): Enquanto o Sketchbook ganha em recursos, o Brushes é mais gostoso de usar – tanto que é o favorito dos artistas que levam a pintura digital a sério.

 

Adobe Ideas (US$ 10): Outra alternativa para os artistas de plantão é o Ideas da Adobe, com recursos profissionais (inclusive vetores) e interface mais sóbria.

 

Comic Life (US$ 8): Receita para diversão: 1. Vá ao churrascão/macarronada de domingo com a família; 2. Tire muitas fotos ridículas; 3. Transforme tudo numa revista em quadrinhos com o Comic Life.

Animação/filmes

iMovie (US$ 5): Edição de vídeo sabor maçã, você sabe. Uma experiência de edição feita para o iPad, por quem fez o iPad. Sem gambiarras, ele só funciona 2, por exigir um bocado de processamento de vídeo. E é bastante rápido para cortar clipes, colocar fotos, trilha-sonora e compartilhar em redes sociais ou sites de vídeo.

 

Animation Creator HD (US$ 2): Se o seu negócio é brincar de animar bonequinhos de palito sem a consciência pesada por indiretamente matar tantas árvores, está aqui o app certo.

 

iMotion HD (Grátis): Este é para animações estilo stop-motion ou fotos em time-lapse. Qualquer um pode experimentar, já que é gratuito (para salvar ou exportar, custa US$ 2). Você pode finalmente usar a limitada câmera do iPad 2 – ou criar em conjunto com a do um iPhone 4, O melhor é que dá para usar um dos dispositivos como controle remoto/disparador: deixe o iPhone 4 fixo e vá8 disparando e organizando as fotos pelo iPad.

 

Todos os apps que listamos estão listados na App Store brasileira. O que nós deixamos de fora que vocês, donos de iPad, recomendariam? Avisem nos comentários.