Lançado em outubro do ano passado, o iPad Mini enfim ganha data para chegar ao Brasil, pelo menos de acordo com a Fnac: a loja diz em seu site que o pequeno tablet da Apple estará “disponível em 25 de junho”.

Já em novembro, o iPad Mini foi homologado pela Anatel, e recebeu autorização para ser fabricado no Brasil com o benefício fiscal da Lei de Informática. Então por que a demora?



Segundo rumores, a Apple só venderá unidades do iPad Mini fabricadas no Brasil – caso importasse, ele não seria competitivo, dados os altos impostos. No entanto, ele precisa de autorização da Anatel para ser comercializado por aqui – o que só aconteceu no início de abril. (Até então, só as versões importadas tinham homologação.)

Ou seja, o motivo do atraso provavelmente é a produção nacional. Ela garante redução de impostos, o que pode ajudar a abaixar o preço. No entanto, ele não deve ser exatamente barato: segundo rumores, ele custará entre R$ 1.000 e R$ 1.100 no seu modelo mais básico, que acompanha 16GB e Wi-Fi.

O iPad Mini foi elogiado em reviews principalmente pelo grande catálogo de apps feitos para tablet, além do design superior e alta duração de bateria. As críticas se concentraram na tela: além de não ser Retina, sua densidade de pixels é menor que a da concorrência. O preço maior também é algo a se levar em conta.

Isto também vale no Brasil: o iPad 2 custa R$1.349 (menos à vista), e espera-se que um tablet menor e com as mesmas especificações (de dois anos atrás!) custe menos. E os concorrentes do Mini custam abaixo de R$999, como o Samsung Galaxy Tab 2 7.0 e o Asus FonePad.

Caso o preço fique acima desse patamar, talvez seja bem difícil justificar a compra. Até porque a Apple já deve trabalhar na próxima geração dele; e caso siga um ciclo anual de lançamentos, um novo Mini – talvez com tela Retina! – deve chegar em outubro. Teremos que esperar até a próxima terça-feira para saber se o preço vale a pena… ou não. [Fnac]