Em julho, um protótipo do iPhone 5 aparentemente foi perdido em um bar. O caso teve uma reviravolta quando a Apple foi acusada de disfarçar sua equipe de investigação como policiais ao revistar a casa de um suspeito. A polícia depois disse ter participado na revista da casa. O misterioso caso do iPhone 5 teve mais outro episódio neste final de semana, quando a polícia pediu os vídeos das câmeras de segurança presentes no bar onde supostamente o iPhone 5 sumiu. O problema é que a polícia não admite que houve qualquer crime do tipo por lá.

A CNET, primeira a informar sobre o desaparecimento deste protótipo do iPhone, disse que:

Jose Valle, cuja família é dona do Cava 22, um conhecido bar e restaurante no Mission District da cidade, disse à CNET na sexta-feira que policiais do Departamento de Polícia de San Francisco visitaram o bar há cerca de uma semana, e deixaram uma mensagem de que queriam ver os vídeos das câmeras de segurança relativos aos dias 21 e 22 de julho, como parte da investigação do iPhone perdido. Valle disse que ele tem os vídeos, e tentou entrar em contato com os investigadores, mas eles ainda vão dar retorno.

A CNET falou com o tenente da polícia Troy Dangerfield, que disse não saber de investigadores da SFPD terem ido ao bar pedir por vídeos. Ao que parece, não há uma investigação da polícia pelo iPhone 5 perdido, porque a Apple não registrou boletim de ocorrência. “Para haver um crime, precisa-se de uma vítima”, Dangerfield disse à CNET. Então para que serviriam os vídeos? Dangerfield acredita que se trata de uma investigação interna da polícia, para saber como o departamento ajudou a Apple a revistar a casa do suspeito em 24 de julho.

Acredita-se que o protótipo do iPhone 5 foi vendido no site Craigslist por US$200, mas ainda não surgiram fotos, vídeos ou mesmo pistas sobre a localização dele. [CNET]