Há muitas poucas coisas na lista de proibição na nossa casa. Mas iPods e iPhones são duas coisas que não compramos para as nossas crianças.

Aí está. Posso imaginá-los entrando em casa com iPods e iPhones escondidos, da mesma maneira que eu costumava fazer com revistas pornográficas. A sra. Gates, porém, admite que ela é provocada pelo demônio:

Às vezes eu olhos para os meus amigos e digo “ooh, eu não me importaria de ter esse iPhone”.

Não resista, Melinda. A resistência é fútil. [Geeksugar]