Uma semana após cortar 0 acesso à e-mails e redes sociais, o governo iraniano bloqueou conexões via VPN (Virtual Private Networks), aparentemente para aumentar o apoio ao partido que já está no poder nas próximas eleições. Claro, porque nós já vimos como isso funcionou bem no caso egípcio.

O VPN é um sistema que encripta a comunicação com uma infraestrutura pública de telecomunicação, permitindo conexões mais seguras. No Irã, a tática é usada basicamente para escapar do pesado software de filtramento de páginas criado pelo governo que bloqueia acesso a sites de notícias estrangeiros e redes sociais. Na última semana, a população iraniana sofreu cortes em serviços de e-mails e no acesso a sites como Gmail e YouTube. No entanto, agora os “e-mails, proxies e todos os canais seguros que começam com ‘https’ estão disponíveis”, disse à Reuters um especialista em tecnologia do Teerã que não quis se identificar.



Desde a revolta popular de 2009, o governo iraniano tem sistematicamente podado todo o acesso online para que a população não usem a rede como um fórum de dissidentes. A país terá eleições parlamentares no dia 2 de março, e teremos que esperar para ver se o governo irá diminuir a censura após a votação ou continuará atazanando ainda mais a vida de seus cidadãos. [Reuters via Ubergizmo]

Imagem: Maxim Tupikov / Shutterstock