Parece mais suspeito do que é, mas os fatos são os seguintes: a nação de Israel comprou a conta de Twitter @israel de um cidadão espanhol morador de Miami, que por acaso também é dono de um site pornô. 

Você pode estar tentado a julgar o cidadão como um daqueles antenados que compram dezenas de domínios e usernames na internet, na esperança de que um dia alguém queira um deles a ponto de pagar uma boa grana. Mas este não é o caso, e parece que o homem estava tão ansioso para se livrar da conta quanto Israel estava em tomar posse dela. 



O nome do dono? Israel Meléndez. Israel assinou a conta em 2007, aparentemente sem se dar conta de que a simples menção da palavra Israel na internet é um ímã de discussões, e acabou deixando-a inativa por causa disso. "Minha conta estava basicamente inutilizada, porque eu recebia dezenas de replies todo dia, de pessoas que pensavam que a conta pertencia ao estado de Israel", disse ele. O New York Times completa que estas dezenas de replies incluem "uma avalanche de comentários antissemitas e anti-Israel". 

Um porta-voz de Israel confirmou a transação e observou que, apesar de não estar usando a conta, Meléndez não a liberou de graça. A conta é parte de um recente esforço de Israel em redes sociais, que inclui as recentemente abertas contas do Primeiro Ministro Netanyahu no Facebook, Flickr, Twitter e YouTube. Israel está ansiosa para moldar as conversações a seu respeito na internet, e a conta @israel é peça chave disso. 

A Fast Company apoia os inovadores em desafiar as convenções e criar o futuro dos negócios.