Podem baixar a cabeça, Laboratório Nacional de Oak Ridge (EUA) e Centro Nacional de Supercomputação em Tianjin (China): seus petaflops acabaram de ser superados pelo Instituto Riken Avançado de Ciência da Computação, no Japão, cujo supercomputador K Computer é o novo número 1 do mundo.

O K é um cluster de 672 gabinetes de servidor recheados com mais de 68.000 processadores Fujitsu SPARC64 VIIIfx, com um poder combinado de processamento de 8,2 quatrilhões de cálculos por segundo (ou 8,2 petaflops), segundo o New York Times. Isto equivale a um milhão de computadores desktop comuns. E a conta de energia mostra isso! O K exige a mesma quantidade de energia para alimentar 10.000 casas ao mesmo tempo.

O que você faz com um computador potente o bastante para causar um apagão em uma cidade pequena? A Fujitsu diz que o campeão mundial poderá ser usado para “pesquisa sobre o clima global, meteorologia, prevenção de desastres, e medicina”. É bom que o K tenha propósitos nobres, já que ele empurrou o supercomputador brasileiro Tupã para a 30ª posição. [NYTRiken]