Uma equipe japonesa está testando um pequeno protótipo de elevador espacial, segundo reportagens na imprensa do país. Claro, não é nada como aqueles elevadores de quilômetros e mais quilômetros de extensão que você vê na ficção científica, mas ainda demonstra que pelo menos alguém está levando essa tecnologia a sério.

• Agência espacial russa diz que vazamento na Estação Espacial Internacional foi causada por erro humano
• NASA anuncia astronautas que farão o primeiro voo privado à Estação Espacial Internacional

O jornal Mainichi noticia:

No experimento, dois satélites cúbicos ultrapequenos, que foram desenvolvidos pela Faculdade de Engenharia da Universidade de Shizuoka, serão usados. Cada satélite mede 10 centímetros em cada lado, e um cabo de aço de dez metros de comprimento será usado para conectar os satélites gêmeos. O par de satélites será lançado da Estação Espacial Internacional (ISS), e um contêiner agindo como um elevador será movido em um cabo conectando os satélites com a ajuda de um motor. Uma câmera acoplada aos satélites vai gravar os movimentos do contêiner no espaço.

O cientista russo Konstantin Tsiolkovsky concebeu pela primeira vez a ideia de um elevador espacial em 1895, depois de ver a Torre Eiffel, e, desde então, isso se tornou um tema recorrente na ficção científica. Um peso na órbita geossíncrona desceria até a superfície da Terra em um cabo ultraforte de cem mil quilômetros de extensão (feito de materiais que talvez não existem), onde seria amarrado. Escaladores especiais de elevadores viajariam pelo comprimento do cabo, potencialmente fazendo viagens até estações espaciais muito mais baratas. O equilíbrio entre a gravidade da Terra e a força centrípeta do peso evitaria que o conjunto colidisse na Terra.

O teste da equipe japonesa não é nada parecido com os elevadores espaciais da ficção científica, é claro. É apenas um contêiner viajando por um cabo entre satélites no espaço. Mas ele demonstra que pelo menos alguém está disposto a testar a tecnologia. Anteriormente, Obayashi, a companhia contratante por trás da estrutura mais alta de Tóquio (o Tokyo Skytree, de 633 metros), expressou interesse em construir um elevador espacial com cabos feitos de nanotubos de carbono. Anteriormente, fomos céticos quanto à força dos nanotubos de carbono para uma tarefa como essa.

Esse experimento será lançado a partir do Centro Espacial Tanegashima, no Japão, em 11 de setembro. Mas muitos desafios precisam ser resolvidos antes da construção de um elevador espacial de fato, desde a garantia da força dos cabos e evitar impactos de meteoritos até levar eletricidade da Terra para o espaço.

Imagem do topo: Chad Kainz (Flickr)