Homem mais rico do mundo, Jeff Bezos anunciou ontem a criação de uma organização para caridade. O Bezos Day One Fund contará com US$ 2 bilhões para apoiar projetos de moradia e escolas em comunidades carentes dos EUA.

Em um comunicado em seu Twitter, Bezos falou sobre a doação. O Bezos Day One Fund será dividido entre dois fundos diferentes.

Jeff Bezos é a pessoa mais rica da história moderna, com uma fortuna de US$ 150 bilhões

O Day 1 Families Fund dará apoio a desabrigados e sem teto. “O fundo Day 1 Families dará prêmios anuais de liderança a organizações e grupos cívicos que fazem trabalhos para dar abrigo e alimento para tratar das necessidades de jovens famílias.”

Além dele, haverá também o fundo Day 1 Academies, com apoio a pré-escolas em comunidades carentes. “Nós usaremos o mesmo conjunto de princípios que guiou a Amazon. O mais importante vai ser a obsessão intensa e genuína com o consumidor. A criança será nosso consumidor”, disse o CEO e fundador da Amazon.

A medida, no entanto, foi alvo de duras críticas, já que as empresas de Bezos, como a Amazon, fazem fortes lobbies para não pagar impostos, além de remunerar mal seus funcionários e não oferecer condições dignas de trabalho.

Kshama Sawant, uma dos membros do Conselho Municipal de Seattle que queria taxar a empresa, deu a seguinte declaração:

Amazon e Jeff Bezos expuseram suas práticas implacavelmente exploradoras durante a discussão em torno da Amazon Tax, ameaçando acabar com a construção e demitir os trabalhadores para impedir a cobrança de um imposto que Bezos poderia pagar com apenas uma hora de sua renda por ano. Em todo o país, os trabalhadores estão indignados com os péssimos salários e condições de trabalho enfrentados pelos trabalhadores dos armazéns da Amazon. Bezos está agora tentando atenuar sua imagem, que é uma evidência do impacto do nosso movimento. Em vez de adotar a falsa ideia de filantropia corporativa, que sabemos ser usada para tentar encobrir a exploração sistêmica de trabalhadores e de nossas comunidades, nossos movimentos devem continuar lutando para taxar grandes empresas para financiar casas e serviços acessíveis, e sindicalizar trabalhadores de tecnologia e de armazéns.

Marina Hyde, colunista do jornal inglês The Guardian, também atacou Bezos pelas más condições de trabalho nos armazéns da Amazon.

Como diz o velho ditado, a caridade começa no corredor 89 do depósito da Amazon, onde os trabalhadores têm tanto medo de perderem pontos por usar o banheiro que estão urinando em garrafas.

Por fim, outros críticos também lembraram que outros bilionários, como Bill Gates e Warren Buffett, doam quantias muito maiores para caridade. Se era uma ação de marketing pessoal de Bezos, parece não ter dado muito certo.

Imagens: Alex Wong/Getty Images