Pouco mais de uma semana após Richard Branson ir e voltar do espaço, mais um bilionário conseguiu fazer um voo de ida e volta para a Terra: Jeff Bezos, ex-CEO da Amazon, que nesta terça-feira (20) viajou a bordo do foguete New Shepard, de sua empresa de turismo espacial Blue Origin. A missão foi considerada um sucesso.

O voo decolou por volta das 10h12 (horário de Brasília) e durou cerca de 10 minutos, com o pouso acontecendo às 10h22, pouco tempo depois da cápsula espacial ultrapassar a Linha de Kárman, considerado o limite convencionado que define o início do espaço, a 100 km acima o nível do mar. O foguete foi lançado de uma base remota chamada Launch Site One, no deserto do oeste do Texas.

“Minha principal missão foi cumprida — não chutei ninguém. Fiquei surpreso em como foi fácil [estar em] gravidade zero. Era como nadar”, brincou Bezos ao pousar de volta na Terra. Lembrando que ele e os demais tripulantes ficaram aproximadamente um minuto fora da gravidade terrestre.

Além de Bezos, de 57 anos, estavam a bordo do New Shepard o irmão do bilionário, Mark Bezos, de 51 anos; a piloto Wally Funk, de 82 anos; e o holandês Oliver Daemen, de 18 anos, que pagou para embarcar na missão. Com isso, Funk e Daemen se tornaram, respectivamente, as pessoas mais velha e nova a irem ao espaço. Vale citar que a nave não contou com nenhum astronauta da Blue Origin, uma vez que o foguete é totalmente autônomo.

Assine a newsletter do Gizmodo

Turismo espacial

O sucesso obtido por Bezos e sua empresa Blue Origin mostra um futuro com muito potencial para o turismo espacial. Mas, de fato, não será para todos. Embora a companhia não tenha revelado os valores de quanto custarão assentos em suas cápsulas espaciais, pode-se esperar que cada lugar saia por alguns milhões de dólares. Daemen, por exemplo, é filho do CEO de uma empresa holandesa que comprou uma cadeira na missão New Shepard.

Enquanto isso, a Virgin Galactic, do também bilionário Richard Branson, cobra atualmente até US$ 250 mil (cerca de R$ 1,3 milhão) por um assento a bordo de suas naves. Contudo, nenhum dos compradores ainda viajou porque mais missões serão realizadas até que a empresa se certifique que tudo esteja seguro. Todavia, sabe-se que, assim que as viagens turísticas forem começarem para valer em 2022, os preços das passagens ficarão ainda mais caros.

[Engadget]