Jeff Bezos, CEO da Amazon, gosta de coisas como recuperar foguetes perdidos no mar e investir em viagens espaciais. E também de jornalismo – por isso ele comprou o The Washington Post por US$ 250 milhões em dinheiro.

A compra, anunciada no site do jornal, foi feita por Bezos, e não tem relação nenhuma com a Amazon. Bezos pegou US$ 250 milhões da sua fortuna (ele é o 19º homem mais rico do mundo) e comprou o jornal. Assim mesmo.

Na semana passada, Bezos vendeu cerca de US$ 185 milhões das suas ações da Amazon. Não se sabe se o objetivo era concluir a aquisição do veículo de mídia ou não (apesar de ser provável).

E a aquisição inclui apenas os jornais da The Washington Post Co., a empresa que controla o The Washington Post. Ela tem outras publicações, como o Slate e o TheRoot.com, mas eles não foram incluídos no negócio – eles continuarão sendo gerenciados pela antiga Washington Post Co., que agora procura um novo nome.

O The Washington Post é um jornal tradicional da capital dos Estados Unidos. Ele foi fundado há 136 anos, mas seu momento mais marcante foi durante a década de 1970, quando seus jornalistas relataram o escândalo de Watergate que resultou na renúncia do presidente Richard Nixon em 1974.

Ainda não sabemos os planos exatos de Bezos com o jornal. Ele disse que não tem planos de fazer nenhuma grande mudança no jornal nem na equipe. E em uma entrevista ao próprio Post ele basicamente disse que não tem ideia do que vai acontecer.

“Não quero dizer que tenho um plano definido”, ele disse. “Este será um terreno inexplorado e exigirá experimentação”.

Bezos é uma figura interessante no mundo corporativo. Não apenas por suas experimentações com foguetes e agora com o jornalismo. Mesmo na Amazon ele faz coisas inesperadas – como tentar convencer seus acionistas de que o lucro não é importante para explicar os resultados não tão positivos da empresa. Farhad Manjoo, do Slate, lembrou dos resultados financeiros da Amazon ao comentar a aquisição no Twitter. “Ícone da perda de dinheiro da antiga indústria de mídia vendido para ícone de perda de dinheiro da nova indústria de mídia”:

Este é o segundo grande investimento de Bezos em propriedades de mídia em 2013: no começo do ano ele investiu no Business Insider. Em um primeiro momento, a aquisição não indica nenhuma mudança radical na forma como o The Washinton Post é feito, mas vamos esperar os próximos meses para ver quais são realmente os planos de Bezos com o jornal impresso, este velho formato de mídia que para muita gente está bem perto de acabar de vez. [The Washinton Post, Gizmodo US, The Verge]