Julian Assange perdeu sua disputa judicial para não ser extraditado do Reino Unido. Isto significa que o criador do Wikileaks pode ser deportado para a Suécia, onde ele terá que enfrentar acusações de assédio sexual.

O Guardian informa que a mais alta corte do Reino Unido decidiu, esta manhã, rejeitar os pedidos de Assange para permanecer em solo britânico. Um dos juízes explicou que o caso “não foi fácil de resolver”.

Julian Assange não estava presente quando a decisão foi anunciada – ele ficou preso no trânsito – mas o resultado sem dúvida é um um duro golpe para Assange e o Wikileaks.

De acordo com o New York Times, o caso no Reino Unido ainda não acabou: os advogados de Assange já responderam à decisão. Caso ela seja mantida, a última alternativa para Assange será apelar da decisão na Corte Europeia de Direitos Humanos.

No entanto, “se a corte europeia rejeitar uma nova audiência, o sr. Assange provavelmente seria colocado em um avião para Estocolmo em dias, dizem especialistas” ao NYT. Uma virada de decisão na corte europeia é “considerada improvável, mas não impossível”. [The GuardianNew York Times]