Uma corte na Nova Zelândia julgou que Kim Dotcom pode ser extraditado para os Estados Unidos, onde ele enfrenta um processo por infração de direitos autorais. Segundo o processo, o criador do MegaUpload é acusado de ter causado um prejuízo de US$ 500 milhões a gravadoras e estúdios.

A decisão determinou que Dotcom e os outros réus — Mathias Ortmann, Bram van der Kolk e Finn Batato — podem ser extraditados para os Estados Unidos para responderem aos processos de extorsão, lavagem de dinheiro e infração de direitos autorais. O juiz se baseou em “um grande número de evidências” que embasam o caso.

Dotcom se envolveu em uma batalha com a Justiça há quatro anos, quando seu site de compartilhamento de arquivos, o MegaUpload, foi fechado. O FBI derrubou a página em 2012 por acusação de pirataria e pelo fato de o serviço ter lucrado US$ 175 milhões com a disponibilização de conteúdos ilegais.

O Financial Times informa que após deixar a corte, Dotcom estava “desapontado” com a decisão. Ele deve entrar com um recurso contra a decisão até dia 31, mas as coisas estão começando a ficar difíceis para o fundador do MegaUpload. Se for considerado culpado das acusações citadas pelo tribunal da Nova Zelândia, ele pode pegar até 20 anos de prisão.

[FT]

Crédito da imagem do topo: AP