Que a família Kardashian está sempre nos holofotes, todo mundo sabe. Mas, dessa vez, Kim está nas capas dos jornais por outro motivo. Ela e a lenda do boxe Floyd Mayweather Jr. estão sendo acusados de enganar investidores ao promoverem um token de criptomoeda da EthereumMax.

O processo, aberto na sexta-feira (7) no tribunal federal de Los Angeles alega que as estrelas colaboraram com a EthereumMax para “promover e vender enganosamente” a criptomoeda, divulgando o ativo em suas redes sociais a fim de fazer o preço da criptomoeda subir artificialmente.

Segundo a ação, Kim Kardashian promoveu o EthereumMax com uma publicação em seu Instagram em junho de 2021, quando tinha 250 milhões de seguidores. Ela ainda teria incluído a hashtag “ad”, que sugere que a postagem teria sido paga ( semelhante à hashtag “publi” no Brasil).

Em relação a Mayweather Jr, o processo diz que o atleta teria promovido a EthereumMax através de publicações no Twitter, enaltecendo a criptomoeda, além de ter usado o ativo como pagamento de ingressos para a luta entre ele e o ator e youtuber Logan Paul — o que teria aumentado drasticamente os volumes de negociação da criptomoeda.

EthereumMax

A empresa envolvida na polêmica também foi citada no processo e se defendeu alegando inocência. “Nós contestamos as alegações e esperamos que a verdade seja revelada”, afirmou a EthereumMax.

Se você não sabe o que são criptomoedas, clique aqui para entender mais sobre o ativo. E se você não sabe a diferença entre criptomoeda e Tokens, clique aqui.