Lara Roberts é grata ao acessório da Nintendo por permitir que se exercite em casa, pois ela se sentia muito pouco à vontade para frequentar uma academia ou correr em público. Como resultado, seu peso diminuiu de 114 kg para 63,5 kg em um ano.

Nota: sua dieta alimentar também colaborou muito nessa mudança. O tabloide britânico “News of the World” diz que ela era adepta do “comfort eating” (comia porque se sentia mal, não porque tinha fome), ingerindo mais de 4.000 calorias por dia. Até que um dia um amigo observou que ela “nunca parava de comer”.

“Eu sabia que, se não fizesse algo, tinha chances de não conseguir viver para ver minhas meninas crescerem”, diz.

Acho que é uma história crível. Primeiro, ela passou um ano inteiro acordando às 5 da manhã para se exercitar. Ou seja, não foi um programa rápido e milagroso. Segundo, ela reconheceu como os seus hábitos alimentares requeriam uma mudança disciplinada em seu comportamento. E terceiro, ela estava motivada pela preocupação com suas filhas e tinha o suporte de sua família. Vergonha ou embaraço são sentimentos poderosos, mas só eles não são suficientes para criar motivação – sem uma rede de suporte, você cede ao derrotismo. O argumento de que o Wii Fit a atraiu porque lhe permitia se exercitar em casa também é bom.

Os benefícios? Lara mudou. Rindo, diz que se tornou uma exibicionista e que a melhor coisa é a melhora em sua vida sexual. Brinca com o fato de ser desejada por amigos de sua filha e aparecerá no documentário “I’m Hotter than My Daughter” (sou mais gostosa do que a minha filha) no mês que vem, na BBC 3. “No que me diz respeito, o Wii Fit salvou a minha vida.”

I’m a Wii Bit Thinner [News of the World via Go Nintendo. Imagens por News of the World]