Você já jogou algum Final Fantasy ou Dragon Age? Aliás, você já teve que se arrastar por um role-playing game ruim, onde os personagens ficam falando sobre seus problemas e sobre o mal que irá destruir o mundo?

Imagine um RPG sem isso. Tire a história. Quer saber? Tire todos os personagens, a maior parte dos gráficos e enfie isso no meu iPhone.

Isso foi o que as pessoas que desenvolveram Dungeon Raid fizeram, e eu gostaria de agradecê-los por isso. (Obrigado, Fireflame Games)

Dungeon Raid, um jogo de U$2,99 para iPhone, iPad e iPod Touch, será confundido por algumas pessoas com um clone de Bejeweled, talvez porque você realmente tenha que jogar esse game combinando ícones similares e adjacentes. Ele pode ser punido por parecer uma cópia de Puzzle Quest, porque esse jogo já bebeu da fonte de Bejeweled, colocou uma história na ação e tornou-se um RPG popular no processo. O que Puzzle Quest acertou foi que Bejeweled é divertido e combinar pedras preciosas pode ser uma maneira simples e estratégica de conduzir uma batalha contra os vilões. Eles também entenderam que Bejeweled pode ser mais divertido se cada vez que você combinar as pedras resultar na morte de um malvado ou possivelmente te subir de nível. E é assim que é a jogabilidade: similar a como acontece em Dungeon Raid, um jogador de Puzzle Quest combina alguns ícones para atacar, alguns para lançar magias e alguns para coletar itens. Mas os criadores de Puzzle Quest acharam que eu queria uma história para completar tudo isso. Eu não queria. Os caras de Dungeon Raid de alguma maneira perceberam isso.

Dungeon Raid é um monte de lutas e uma escalada gloriosa pelos níveis. Ícones preenchem a sua tela esperando ser combinados e varridos da existência com o deslizar de seu dedo. Caveirinhas são os caras malvados e irão te atacar, causando dano aos seus escudos e diminuindo a sua barra de HP. Combinar o máximo de escudos que você puder faz a sua defesa; combinar poções cura. Apesar de os métodos não serem extremamente complexos, você pode combinar vários ícones em uma coluna, ganhando toneladas de pontos de experiência e fazendo upgrades no seu equipamento. E você ainda pode adicionar magias…tudo isso durante uma única vida.

Como uma partida de Bejeweled ou de Tetris que encerra, assim é a progressão de Dungeon Raid. Você morre, tem que começar do zero. Mas conforme você joga, ao matar inimigos especiais você pode abrir novas classes, benefícios e raças, que permitem que você use muitas configurações diferentes.  É como se eles tivesse feito um RPG envolvente com muitas horas durante as quais você joga de fato e passa quase nenhum tempo vendo a história (existe uma única página de história que aparece quando o jogo inicia; eu nunca li).

Por me proporcionar um RPG com as cutscenes mais curtas (0 segundos, no máximo), o mínimo de reclamação do protagonista (nenhuma), o menor número de reviravoltas (zero) e montes de pontos de experiência para ganhar, Dungeon Raid é o nosso Gaming App do Dia.

Dungeon Raid [iTunes]