O satélite espião NROL-42 foi lançado a bordo de um foguete Atlas V, a partir da Base da Força Aérea de Vandenberg, na manhã de domingo (24). E, embora não saibamos sobre as especificações técnicas ou sobre o que ele estará espionando, é seguro dizer que faz parte de um dos aparatos mais avançados de espionagem que o mundo já teve.

• Documentos apontam que NSA espionou cientistas para encontrar pesquisas genéticas “nefastas”
• WikiLeaks: documentos da CIA revelam espionagem por meio de Smart TVs

“Este lançamento é a culminação de vários meses de trabalho da United Launch Alliance, do Escritório Nacional de Reconhecimento e da 30th Space Wing”, disse o coronel Gregory Wood, vice-comandante da 30th Space Wing, em um comunicado. “Toda a equipe Vandenberg está dedicada ao sucesso da missão e orgulhosa de fazer parte da entrega dessas capacidades à nossa nação.”

Mais uma vez, não sabemos quais são essas capacidades, mas vamos acreditar nas palavras do coronel. O vídeo do lançamento de ontem está no YouTube. E, olha, é uma bela vista.

Como aponta o Space.com, essa é a 15ª vez que o Escritório Nacional de Reconhecimento usa o foguete Atlas V para levar carga ao espaço. A United Launch Alliance, uma joint venture comercial entre as empresas de defesa Lockheed Martin e Boeing, auxiliou a Força Aérea dos Estados Unidos no lançamento.

Do Space.com:

O Atlas V agora já voou 73 vezes desde sua estreia em 2002 e não fracassou em nenhuma missão. Cargas notáveis lançadas pelo foguete incluem o rover Curiosity, da NASA, de exploração de Marte, a espaçonave New Horizons e a sonda de coleta de amostras de asteroides OSIRIS-REx, assim como o avião espacial robótico X-37B, da Força Aérea dos EUA (as quatro primeiras missões do X-37B usaram foguetes Atlas V, embora a quinta, que aconteceu no início deste mês, tenha chegado à órbita a bordo de um impulsionador Falcon 9, da SpaceX).

“Esse lançamento é um excelente exemplo do trabalho em equipe por parte de várias organizações que trabalharam dia e noite para garantir a segurança da missão”, disse o tenente-coronel Kenneth Decker, comandante do 4º Esquadrão de Lançamento Espacial, em um comunicado. “Considerando a dedicação de homens e mulheres que trabalharam para garantir a prontidão do veículo de lançamento e da carga, estamos no caminho certo para um lançamento bem-sucedido.”

O Escritório Nacional de Reconhecimento não é um nome familiar como a CIA ou a NSA. Mas com um orçamento de aproximadamente US$ 10 bilhões por ano (mesmo o orçamento do órgão é confidencial), ele provavelmente consegue fazer muita coisa. Mais uma vez, teremos que acreditar na palavra das comunidades militar e de inteligência.

Talvez um dia vamos saber do que se tratava o lançamento do último final de semana, mas não vou ficar sentado esperando. Mesmo as cargas dos anos 1980 ainda são segredos bem guardados. Porém, podemos ao menos sonhar.