Lasers muito, muito potentes – não como o Spyder III, mas lasers do tamanho de edifícios usados para fins científicos – podem estar chegando em seu máximo físico de intensidade. Passar de um certo ponto significa que eles podem destruir a si próprios.

Tudo se resume no fato de que luz e matéria são intercambiáveis (equivalência massa-energia!), e a níveis muito altos de energia, a luz do laser pode criar matéria. Aí…

Quando tal matéria é criada a uma energia suficientemente alta, ela pode emitir fótons que se movem rápido o bastante para criar sua própria matéria. O efeito cascata pode gerar tanta energia quanto o próprio laser, e resultar em sua destruição.

O que isto significa em termos de armas laser e lasers de alta potência (tipo uma Estrela da Morte para explodir planetas), não sabemos. Talvez seja hora de sair de lasers e ir para phasers, hein? Ande logo, ciência, e faça isso virar logo realidade. [Physics Buzz via PopSci]