O New York Times publicou um artigo interessante sobre tecnologias de display, pedindo a médicos e acadêmicos que opinem sobre a velha questão: se não der pra ler em papel, é melhor escolher LCD ou e-Ink? A resposta é "depende".

Como Michael Bove diz, diretor do Laboratório de Eletrônicos de Consumo do MIT Media Lab:

"Depende das cincunstâncias de visualização, incluindo o software e a tipografia na tela. Atualmente, o e-Ink é ótimo para ler sob o sol, mas em certas situações, ler em papel pode ser muito melhor do que e-Ink. E em situações de pouca luminosidade, uma tela LCD pode ser a melhor opção de todas.

Aparentemente, as altas taxas de atualização dos LCDs modernos facilitam para os olhos e fazem com que não fique muito mais cansativo do que papel ou e-Ink, ignorando-se fatores como ergonomia e luz do sol. Os problemas parecem se originar de fadiga visual, que é produto da situação de luz e das práticas de descanso do leitor (é sempre recomendado dar um descanso aos olhos a cada 20 minutos).

Em nota relacionada, os romances da Stephanie Meyer são conhecidos por causar danos oculares e cerebrais quando lidos em qualquer tipo de tecnologia de tela ou papel. [NYT]