Lee Kun-hee, presidente do conselho administrativo da Samsung, morreu aos 78 anos neste domingo (25) após ser levado a um hospital em Seul, na Coreia do Sul. O executivo foi o responsável pela companhia sul-coreana ter se tornado uma marca global e líder em diferentes segmentos.

A maior atuação de Lee na empresa rolou entre 1987 e 2008 quando foi presidente, porém ele começou a trabalhar na companhia fundada por seu pai, Lee Byung-chul, em 1968.

Um dos grandes pontos de mudança do conglomerado sul-coreano rolou no início da década de 1990. À época, a Samsung era conhecida por fazer aparelhos de TV de segunda linha, numa época em que a Sony dominava o mercado. Após uma visita a uma loja nos EUA com executivos e a constatação que o modelo da marca era US$ 100 mais barata que a principal concorrente, ele determinou que o esforço seria por qualidade em vez de quantidade.

Lee Kun-hee, presidente do conselho administrativo da Samsung. Crédito: Flickr/Republic of Korea/CCLee Kun-hee, presidente do conselho administrativo da Samsung, em reunião realizada em Washington, EUA, em 2013. Crédito: Flickr/Republic of Korea/CC

A mudança na empresa ocorreu após uma série de reuniões com gerentes da Samsung em Frankfurt, na Alemanha, em 1993. O mote era que os executivos da empresa deveriam enterrar as formas antigas de pensar e “mudar tudo, menos sua esposa e as crianças”.

Com este tipo de mentalidade, a empresa superou as principais concorrentes japonesas no ramo de telas e TVs e, nas últimas décadas, também se tornou líder no mercado de celulares, superando a Nokia e fazendo frente à Apple em vários países.

Como aponta o New York Times, a trajetória de Lee também contou com pontos controversos. Ele foi condenado em 1996 por ter dado propina ao presidente da Coreia do Sul e em 2013 foi acusado de não ter pago bilhões de dólares em impostos, supostamente guardados em contas secretas. Nas duas ocasiões, o executivo recebeu o perdão do governo local.

Após sofrer um ataque cardíaco em 2014, Lee se afastou das atividades diárias e tornou seu filho Lee Jae-yon, vice-presidente da Samsung Electronics, a face pública da empresa.

[Reuters e New York Times]