Apesar de ser a maneira mais comum de proteger computadores e dados sensíveis, as senhas são uma terrível solução de segurança. Então, cientistas da Hong Kong Baptist University estão ensinando computadores a ler os lábios dos usuários, como um método muito mais seguro de segurança biométrica.

• Austrália quer substituir passaportes por tecnologia biométrica
• Sistema de pagamento por selfie da Mastercard chega ao Brasil em 2017

Escolher uma senha que seja tanto única o bastante para ser segura e simples o bastante para ser lembrada está ficando cada vez mais difícil. É por isso que tantos notebooks e smartphones incluem leitores de digitais como uma camada extra de segurança biométrica. Entretanto, falsificar digitais é mais fácil do que você pode imaginar. Portanto, Yiu-ming, professor do departamento de ciência da computação da universidade, quer que computadores e smartphones usem movimentos únicos dos lábios de um usuário enquanto eles dizem sua senha como mais uma camada de autenticação.

A função estaria presente apenas em dispositivos com câmeras frontais, mas ofereceria vantagens em relação à autenticação de voz, que pode ser atrapalhada por sons de fundo e outros barulhos, é frequentemente específica para uma língua e simplesmente não funciona para aqueles com deficiências na fala. A abordagem da leitura labial, que rastreia o formato do lábio, seu movimento e até sua textura poderia ser usada em basicamente qualquer lugar. Também seria virtualmente impossível para alguém imitá-la, já que essas qualidades são únicas para cada usuário.

A nova abordagem exigiria ainda que um usuário se lembrasse de uma senha em frase, falada, o que seria difícil de manter em segredo, considerando que essa tecnologia é proposta para utilização em caixas eletrônicos e outras máquinas colocadas em lugares muito públicos. Mas mesmo que alguém ouça o que você disse, seria impossível para eles enganar um dispositivo — a não ser que fossem seu irmão gêmeo.

[Hong Kong Baptist University via New Atlas]