O Google anunciou hoje uma ideia nova e experimental para modificar o futuro da comunicação na Web. O nome é Wave ("Onda") e, se você acreditar no seu desenvolvedor, é "o que o email seria se fosse inventado hoje". Além disso, vai ser totalmente open source. Já está intrigado?

Primariamente, o Wave tem como objetivo melhorar a comunicação em tempo real na web. Aqui tem um vídeo de quase hora e meia com a apresentação completa aos desenvolvedores na conferência Google I/O, mas se você não quiser ou não tiver tempo de ver, fique com os detalhes diretamente da boca do Google:

O QUE É UMA WAVE?

Uma wave é conversação e documento em partes iguais. As pessoas podem se comunicar e trabalharem juntos com texto formatado, imagens, vídeos, mapas e mais.

Uma wave é compartilhada. Qualquer participante pode responder em qualquer ponto da mensagem, editar o seu conteúdo e adicionar participantes em qualquer ponto do processo. A função Playback permite que qualquer um retroceda a Wave passo a passo desde o início, para ver quem disse o quê e quando.

Uma wave é viva. Com a transmissão instantânea à medida que você digita, os participantes de uma wave podem ter conversações mais rápidas, ver edições e interagir com extensões em tempo real.

Bastante amplo, né? O Google Wave é claramente algo que precisaremos ver em ação, usar mesmo, antes de entender completamente como funciona. Da mesma forma que o email, o Wave foi desenvolvido como um padrão que poderá ser rodado a partir de qualquer servidor, então ele não vai pertencer ao Google. Qualquer um vai poder ter o seu próprio Wave, e este Wave pode competir com o do Google ou se comportar como o dono quiser. Mas, sendo criado sobre um protocolo padrão, Waves diferentes podem entender e se comunicar entre si, da mesma forma que o Outlook pode trocar emails normalmente com um Thunderbird, GMail ou Yahoo Mail.

Isso resolve um problema que eu (e muitos outros bem mais inteligentes que eu) sempre tive com o Twitter: ele vive nos servidores de uma empresa, e a sua informação esta suscetível ao que quer que a empresa queira fazer com ela. RSS, email e mensagens instantâneas trabalham com protocolos padrões que podem ser utilizados por qualquer um. É o exemplo dos emails que eu dei acima.

O blog TechCrunch fez uma análise bem detalhada do Wave (link lá no fim, em inglês) e dos rumos que o Google tomou com ele até agora. O wave ainda é incrivelmente novo e pouco desenvolvido, mas também é muito intrigante sob o ponto de vista do Futuro-da-Internet e coisa assim. Pode não dar em nada, mas considerando as reações que teve e a popularidade de serviços como o Twitter e o Facebook, a ideia de um protocolo que transforma uma comunicação deste tipo em padrão aberto soa muito promissora.

O Wave não está disponível de nenhuma forma para mim e para você por enquanto, e muito da tecnologia por trás dele depende das atualizações do HTML 5, que não estarão disponíveis pelo menos por mais um pouco de tempo, mas no site oficial você pode se inscrever para atualizações do Google Wave se estiver ansioso por toda e qualquer novidade do desenvolvimento. (N.T.: Eu mais do que certamente estou.)

Google Wave [via TechCrunch]