A fossa das Marianas é o ponto mais profundo dos oceanos da Terra, e também lar de imagens, sons e criaturas estranhas. Mas tem coisa lá embaixo que é bem conhecida de todos nós: um monte de lixo.

Pesquisadores da Universidade de Aberdeen, na Escócia, apresentaram os resultados preliminares da primeira medição de poluentes na fossa durante uma conferência de exploração submarina em Xangai. A Nature falou um pouco sobre os dados, e relatou com certa surpresa que níveis altos de poluentes, especialmente PCBs (sigla em inglês para bifenilpoliclorado), já estão flutuando ao redor de lá – e sendo comidos pela vida marinha. Não apenas os PCBs estão presentes como eles estão em níveis mais altos do que em muitos rios e águas litorâneas.

Com mais de 11.000 metros de profundidade, a fossa das Marianas é um dos mais remotos e misteriosos lugares da Terra. Nós só começamos a observar a vida incomum que tem por lá, e o que encontramos parece até coisa alienígena. Isso torna a descoberta de que as coisas já estão extremamente poluídas por lá ainda mais decepcionante.

No começo do mês, a Universidade de Oxford abandonou o projeto de encontrar um único ponto na Terra ainda intocado, dizendo que os pesquisadores não acreditam mais que isso exista. Parece que, mesmo a 11.000 metros de profundidade nas águas do oceano, eles estão certos.

Foto de topo: Uma medusa na Fossa das Marianas (Imagem via NOAA)