A 245ª caminhada espacial feita a partir da Estação Espacial Internacional (ISS) devia acontecer no início desta terça-feira (30). Mas os planos não saíram como o esperado. 

Durante a madrugada, o perfil oficial da ISS no Twitter anunciou que a caminhada teria que ser adiada devido a um sinal vermelho recebida pela Nasa. Ele indicava que detritos estavam ameaçando um dos laboratórios da ISS — mais precisamente, o laboratório orbital.

Um teste russo feito recentemente, que envolveu a explosão de um míssil, não foi citado no comunicado, mas já era visto com preocupação por oficiais da agência espacial. Ou seja, é bem provável que os tais detritos ameaçadores estejam ligados a explosão russa.

A caminhada estava programada para acontecer às 9h10 (horário de Brasília), e duraria cerca de seis horas e meia. O evento completo seria transmitido ao vivo pela Nasa TV, e seria protagonizado pelos astronautas Thomas Marshburn e Kayla Barron — em uma empreitada para consertar uma antena na área externa da estação espacial. 

A antena em questão é usada há mais de duas décadas, e tinha como principal função enviar sinais para a Terra — o que já não estava acontecendo como deveria. O problema foi relatado em setembro, e a dupla, com auxílio de outros astronautas que cuidariam de questões mais operacionais, foi designada a substituir o aparelho por um novo. A nova data para o reparo ainda não foi definida.

Explosão russa

No dia 14 de novembro, a Rússia explodiu um de seus próprios satélites durante um teste, aumentando a (já grande) quantidade de lixo orbital vagando pelo espaço. Os detritos gerados, mesmo que pequenos, se movem a uma velocidade de 7.600 metros por segundo, o que é suficiente para pedacinhos danifique, o exterior da ISS ou mesmo os trajes dos astronautas.

Autoridades russas disseram que o teste havia sido bem sucedido e que os destroços não ameaçavam a atividade espacial. Mas o comportamento dos astronautas a bordo da ISS mostrou o contrário. Logo após o incidente, eles tiveram que buscar abrigo em cápsulas acopladas à estação, onde ficaram por duas horas.

Outras tarefas que estavam previstas para os astronautas da ISS também foram canceladas devido ao teste russo, como o roteamento de cabos e a retirada de parafusos em um tanque sobressalente de nitrogênio.