Em 1934, uma dupla de físicos concebeu uma ideia de como criar matéria a partir da luz. Basicamente, ao colidir dois fótons, você obteria um elétron e um pósitron – ou seja, matéria. Agora, cerca de 80 anos mais tarde, uma equipe de físicos tem um plano para realizar esse experimento na vida real.

Em um artigo recém-publicado na revista Nature Photonics, o professor Steve Rose – junto a seus colegas do Departamento de Física no Imperial College de Londres – concebeu um processo de dois passos para transformar a luz em matéria.

No primeiro passo, o experimento utiliza um laser para acelerar elétrons a pouco menos que a velocidade da luz, antes de dispará-los em uma placa de ouro para criar um feixe de fótons. Em seguida, os cientistas iriam disparar um laser de alta potência dentro de um recipiente de ouro, para criar um campo de radiação térmica semelhante à luz produzida por estrelas.

Usando o fluxo de fótons criado no primeiro passo, e combinando-o ao campo de radiação térmica do segundo passo, os fótons iriam colidir uns com os outros e gerar elétrons e pósitrons.

Por enquanto, isto é apenas uma teoria, porém muitos físicos concordam que ela deve funcionar. “Foi bem surpreendente para nós a descoberta de como criar matéria diretamente da luz usando a tecnologia que temos hoje no Reino Unido”, diz Rose em comunicado. “Como somos teóricos, estamos agora conversando com outras pessoas que podem usar as nossas ideias para realizar esta experiência marcante.”

Oliver Pike, que liderou a pesquisa, diz: “Começou a corrida para realizar e concluir o experimento!” E, uma vez alcançado, isso poderia levar a novos insights importantes de como funciona o universo – especificamente as gigantescas explosões de raios gama.

Quem aí tem uma placa e recipiente de ouro, mais um laser poderoso para gerar matéria? [Nature Photonics via Imperial College London]

Imagem via Shutterstock