Quatro anos depois do lançamento do computador em formato de lata de lixo, Mac Pro, a Apple finalmente, e silenciosamente, anunciou um novo Mac Pro. A notícia veio por meio de John Gruber, do Daring Fireball:

A Apple está no momento trabalhando duro em um Mac Pro “completamente repensado”, com um design modular que pode acomodar CPUs de ponta e grandes GPUs, o que deve tornar mais fácil para a Apple atualizar o sistema com novos componentes regularmente.

Isso com certeza é uma boa notícia para fãs da Apple que precisam de uma máquina potente e não têm o tempo e a energia para construir uma sozinhos. Na última década, a linha de desktops da Apple tem sido deixada de lado, mas cada nova iteração apresentou máquinas potentes demais para o usuário médio. Máquinas poderosas que a maioria de nós não aproveitaria.

• As novidades do iOS 10.3 e da atualização do macOS, já disponíveis
• Um cara modificou o Apple Watch para rodar jogos do Game Boy

Mas o novo Mac Pro não vai chegar nesse ano. Como Guber apontou, a Apple está apenas anunciando o produto por meio de cinco repórteres (Gruber, Matthew Panzarino, Lance Ulanoff, Ina Fried e John Paczkowski) para poder conter os fãs do Mac Pro que estão ansiosos por um upgrade e podem estar dando uma olhada em máquinas da Dell e da HP (ou pensando em montar suas próprias). Mas por que a Apple foi forçada a acalmar os fãs? Quando qualquer nerd com um cartão de crédito pode construir seu próprio PC em uma tarde, por que a Apple vai demorar cinco anos para montar uma máquina nova?

O problema está na guerra entre forma e função que reside no coração do caráter de design da Apple. Por mais que tenha conseguido um bom equilíbrio, repetidamente, em seus notebooks e, de certa forma, na sua linha iMac (Gruber também comentou que um novo iMac redesenhado é esperado para esse ano), a Apple nunca conseguiu acertar direito quando se trata de desktops.

Ou eles constroem imensas e atordoantes torres como o icônico G5, ou fazem pequenas peças de arte e design como o G4 Cube e o Mac Pro de 2013. A Apple ainda precisa encontrar um meio termo e desenvolver uma máquina que pode ser melhorada como um desktop precisa ser, enquanto continua sendo lindamente projetada como uma máquina da Apple costuma ser.

Pelo menos de acordo com Phil Schiller, vice-presidente de marketing mundial da Apple, esse compromisso pode ainda estar bem longe de nós. Essa citação de sua conversa com Gruber é um exemplo:

Não vamos compartilhar exatamente em que estágio estamos, só que falamos para o time levar o tempo necessário para fazer algo incrível. Para fazer algo que possamos suportar por um longo tempo com consumidores conseguindo fazer atualizações e upgrades ao longo dos anos. Nós vamos levar o tempo necessário para fazer isso. O Mac Pro atual, como já dissemos algumas vezes, tinha restrições termais que restringiam a possibilidade de fazer upgrades. E, por isso, sentimos em desapontar os consumidores que queriam isso, e pedimos que um time fosse lá e refizesse a arquitetura e projetasse algo realmente bom para o futuro desses consumidores do Mac Pro que querem mais expansibilidade, mais possibilidade de upgrades no futuro. Nós vamos vamos atender melhor essas necessidades.

O que quer que seja que a Apple nos apresentará vai ter a expansibilidade que os usuários de desktop exigem, mas certamente parece que parte do design característico da Apple pode ser sacrificada no processo.

[Daring Fireball]