Bem no início da coletiva da Sony ontem na E3, foi mostrado um mapa da expansão dos consoles PlayStation pelo mundo. Mostraram que 13 países da América Latina já receberam o suporte da Sony, e na última fase de dominação Brasil, Uruguai e Paraguai receberiam os consoles no "Summer 2009" (algo entre fim de junho e setembro pra gente aqui). Quando Jack Tretton, CEO da Sony, falou "Brazil" perto de um mapa, eu e o povo que acompanhava a transmissão ao vivo celebramos como um gol. Alguns gritaram "peido". Mas, na real, o que essa palavra solta significa? O PlayStation 2 vai ser produzido em Manaus, o PSP vai ser lançado finalmente ou o todo-poderoso PlayStation 3 terá um pacote nacional, como o Xbox 360? Ou nada disso? Ou tudo isso?

O chapa Théo Azevedo, que está lá na E3, conseguiu falar com o diretor e gerente geral da Sony para a América Latina, Mark Stanley, que disse que a japonesa virá com tudo para cá, e promete até o fim do ano o lançamento oficial do PlayStation 3, PSP e PlayStation 2. Não há confirmação se o PS2 será importado ou fabricado por essas bandas. Os jogos dele (como já começa a acontecer), certamente. Mark acredita que a vinda da Sony para cá irá ajudar na pressão para que o governo diminua os impostos sobre videogames.

A Sony tem uma história diferente no Brasil, de enormes investimentos no país. Temos fábricas de TVs, câmeras, computadores no país, além de 1.200 empregados em Manaus. É uma grande operação no Brasil.

Então eu penso que para os olhos do governo brasileiro, com a Sony entrando no cenário, traz muito mais credibilidade para a questão dos impostos que incidem sobre os videogames.

Outras companhias conversaram com o Governo sem o compromisso de investir no país de fato. E a Sony já fez grandes investimentos, não apenas em eletrônicos, mas software também.

Isso dito, podemos trazer tal argumento à mesa, o que nunca foi feito antes. Esperamos que o Governo seja mais receptivo à discussão.
 

Que Kratos te ouça, Mark.  De qualquer forma, a chegada da Sony produzindo ou reembalando jogos implicará numa redução de 20% a 30% em relação ao preço atual. É mais ou menos o que acontece com os originais da Microsoft, que custam no máximo R$ 179 para Xbox.

E ah, redução de preço de hardware? Eu aposto no contrário. Eu tenho uma teoria que a única fonte é a parte direita do meu cérebro (o hemisfério esquerdo desmente a informação): o preço do PS3 está baixando em grandes lojas (como Submarino ou Americanas) porque elas terão de limpar o estoque para receber o "novo" PS3, oficial. Pense comigo: nenhuma das grandes redes vende o Xbox que não seja o kit oficial da Microsoft, que custa mais de R$ 2.000 hoje. No PlayStation 3 ainda há uma variedade de preços grande, porque cada um importa por uma fonte diferente. Quando o PS3 da Sony Brasil chegar, todo mundo vai vender ao mesmo preço, com pequenas variações. E, pela atual carga tributária, chuto que o preço ficará na faixa dos R$ 2.000, provavelmente mais caro que o Xbox (visto que o Wii importado oficialmente pela Latamel é mais de R$ 2.000 também).

Procurei a Sony Brasil e eles ainda não tinham informações concretas, tipo datas ou algo assim. Por enquanto, leia a entrevista completa do Théo com o Mark, onde ele dá uma leve cutucada no Zeebo, aqui. Atualizaremos o post com mais informações oficiais assim que elas chegarem.