Há anos eu olho as telas dos computadores de pessoas de trabalhos mais "sérios" e vejo os mesmos clientes de e-mail e agenda. Mas hoje a quantidade de informações, e-mails, reuniões e colaborações é muito maior. Enquanto não inventam secretárias androides que me ajudem a tomar decisões, preciso de software. Há alguns dias, a IBM mostrou a sua visão de como seriam os aplicativos que deixariam a vida corporativa mais fácil no futuro próximo. Ela chamou isso de Project Vulcan, espécie de Google Wave e Google Docs organizado, ou o Microsoft Outlook casado com o Facebook. Parece lógico, capitão? Vem comigo.

Fui até o Lotusphere 2010, evento organizado pela IBM para mostrar as novidades da sua suite Lotus de aplicativos para trabalho, um pacote de soluções corporativas com diversos sabores e preços, vendidos apenas para empresas. Como eu sou uma pessoa mais ou menos desorganizada e não sou dono de empresa, estava mais interessado nas tendências do que exatamente nos softwares ali mostrados. E achei muitas coisas interessantes.

O foco do evento foi neste Project Vulcan, que não é um produto em si, mas a visão de como todos os programas da família Lotus vão se conversar em algum momento do segundo semestre. Agenda, chat, perfis, VoIP, documentos na nuvem, análise de dados, e-mail, tudo jogado em uma página que pode ser acessada tanto de um software no HD quanto na web, igualzinha. 

O Project Vulcan não representa algo absurdamente novo, especialmente para quem usa bastante redes sociais ou deu uma volta no Google Wave. Mas a maneira de juntar as coisas, usar análise de dados para separar apenas o essencial, é bem bacana. Foi a maneira que a IBM encontrou para aumentar a produtividade no trabalho através de simples mexidas em um software.

Vejamos aqui a tela principal do Lotus Notes, dentro da visão do Projeto Vulcan, que deve surgir finalizado no fim do ano ou meados de 2011. A ideia é não ter algo como programas separados. Marquei uns pontinhos que foram explicados (há uma demonstração um pouco maior, aqui) para vocês curtirem. (Clique na foto do início do post para ver maior)

1. O Cognos é o pedaço do software Lotus que analisa um bocado de informações e dá resumos. No Vulcan, ele mostra na homepage o que achar que é relevante para você. No exemplo aqui, a análise mostra que um dos funcionários está abaixo da meta do mês. É quase como os avisos de conquistas dos seus amigos no Xbox, só que envolve demissões e promoções. 

2. Espere que cada vez mais pessoas usem alguma espécie de Orkut empresarial. A princípio, a idéia não é fazer eleições do tipo "as mais gatas da contabilidade", mas ver quem é quem – e qual a especialidade – em cada área. Clique em um deles e além de poder mandar e-mail dá para ver quais documentos vocês colaboraram juntos ou qual a agenda da pessoa, para que vocês possam marcar alguma coisa. De trabalho, eu digo.

3. A tela inicial do Lotus tem um resumo de tudo que está acontecendo, e é possível acessar rapidamente em uma barra lateral os principais programas. Mas tudo é bastante customizável: a IBM disponibilizará kits de desenvolvimento com APIs abertas para que desenvolvedores criem formas customizadas para cada cliente. Quer colocar uma abinha do Twitter no meio do seu trabalho? Será possível, mas não necessariamente recomendável. 

4. Em vez de "Fulano abraçou Joana" no Buddypoke, a tabela de updates dos amigos se mistura com tarefas importantes a fazer. Dá para responder e-mails diretamente ali ou colocar um lembrete sobre algum update. Até a forma de responder e-mails é mais esperta. No Lotusphere, demonstraram o poder da análise de dados. Suponha que você receba um e-mail com um convite para uma reunião mas não pode ir. Com um clique, aparece a lista dos colegas mais especializados para ir no seu lugar. Se você não gostar do indicado, o Cognos sugere outro, baseado no perfil e trabalhos anteriores, para que você possa passar a batata quente seguramente. Escolhido o substituto, a sua reunião com um cliente passa a constar na agenda do outro.

5. A pergunta é a mesma do Twitter, ou do Facebook: o que você está fazendo? Daria pra chutar que o propósito aqui é afastar as pessoas dessas outras redes sociais e fazer todo mundo se concentrar um pouco no trabalho, ou ao menos fazer parecer com que as pessoas estão ocupadas. Mas a IBM promete filtrar informações para que ali apareça só o essencial. Além do mais, o Project Vulcan prevê uma total integração com os smartphones, então você pode mandar um "prospectando cliente" do seu celular, dentro de um bar, que todo mundo ficará feliz pelo fato de você estar trabalhando.

 

Em partes menores ou em maneira não tão integrada, dá para dizer que a visão da IBM está espalhada pelos serviços do Google, como o Docs, o Calender ou o Wave. Por enquanto, o monte de "Beta" nos programas do Google não o classificam como concorrente para as empresas em busca de soluções confiáveis. O Office 2010, pelo que vi até agora, focará pesadamente na parte de colaboração, e fará uma briga interessante com o Lotus, com a vantagem, aqui no Brasil ao menos, que todo mundo é familiarizado com os programas da Microsoft. O fato é que quem conseguir fazer a experiência mais fácil e diminuir o problema do excesso de informação terá um produto melhor.

E quando você pode ter acesso a isso? Bem, a suíte Lotus só é vendida para empresas, e não há planos para chegar ao usuário comum. Se você tem uma empresa – pequena, inclusive – o preço do pacote varia bastante dependendo do número de serviços que você quiser, do simples combo de e-mail corporativo e agenda até soluções que envolvam backup em servidores virtuais e software para videoconferência (mais informações aqui).

A sessão inagural do evento que eu fui foi apresentada por William Shatner, o eterno capitão Kirk. O projeto chama Vulcan, imagino, por alguma relação com o planeta Vulcano, terra natal de Spock, o ET de orelhas pontudas de Star Trek que acha que tudo tem de ser lógico. Vendo a apresentação (que causou alvoroço na platéia semelhante à primeira demonstração do Wave) foram vários momentos de "por que ninguém pensou nisso antes?"  

E via IBM ou não, esse é certamente o futuro das ferramentas de escritório: colaboração, nuvem, redes sociais internas, análise de dados… E essa evolução do software tem bastante a ver com o fato da minha geração (a famosa geração Y) estar chegando a postos de decisão. Já viu como esses programas lembram o Orkut, as Conquistas do Xbox e sistema de clãs de RPGs Online? Há uma ligação interessante, que eu explico melhor no sábado.  

 

* O Gizmodo Brasil foi à Lotusphere, em Orlando, a convite da IBM. Mas não viu o Mickey.