Depois de O Globo, o Zero Hora é o segundo jornal brasileiro (e da América do Sul) a estar disponível no Kindle, leitor de e-books da Amazon. Quer dizer que o aparelho de 1.030 reais, que o Zumo analisou em detalhe num review de três partes, ficou mais atraente — e seu jornal em papel ficou mais ultrapassado.

Como esperado, a versão digital é mais barata que o jurássico jornal em papel: lembrando que o Kindle e os livros/jornais/revistas digitais só podem ser pagos em dólares por enquanto, um exemplar custa US$0,99 (R$1,70) contra R$2 da versão impressa. A assinatura mensal é ainda mais barata: US$15,99 (R$27,50) para ler o Zero Hora todo dia, versus R$55,50 em papel.

Mas acessar o site do Zero Hora (ao contrário de O Globo) continua gratuito, e aí vemos o desafio da mídia impressa: permanecer relevante e mais vantajosa que os sites de notícia, que podem se atualizar a cada segundo e não custam um tostão pro consumidor. Se o Kindle é uma solução, não sei — a esse preço, pelo menos, acho difícil. Mas apreciar as fotos do Kindle é de graça. [Zero Hora – Valeu, Siciliano!]