São Paulo tem apenas 55 estações de metrô, espalhadas por 61 km de linhas. A Cidade do México, por sua vez, tem 175 estações e extensão três vezes maior. Pelo menos quando chegarem os novos vagões e estrear a linha amarela, o metrô promete ficar mais rápido e terá várias novidades tecnológicas legais: vagões sem condutor, câmeras com Wi-Fi, anúncios aos passageiros via VoIP e mais.

A Info fez uma reportagem cobrindo as novidades do metrô paulistano. A mais legal, na minha opinião, é o "condutor-fantasma" da linha amarela: você não vai ver alguém guiando os vagões do metrô — ele será conduzido à distância, na central de controle. Assim é possível deixar os trens em operação mais próximos uns dos outros, reduzindo o tempo de espera. Um freio inteligente também vai ajudar nos dias de chuva, acabando com freadas bruscas.

Outra novidade é o uso do Wi-Fi na linha amarela: as câmeras dentro e fora dos vagões transmitirão suas imagens pela rede sem fio, e os avisos do metrô serão transmitidos via VoIP. (As outras linhas terão uma rede de fibra ótica para transmitir as imagens.) Pena que as pessoas não poderão usar o Wi-Fi nos laptops ou smartphones — o metrô de Nova York está em negociações para fazer isso acontecer lá. Mas aqui já é possível receber ligações via celular no metrô (na linha verde; as linhas azul e vermelha estão recebendo antenas).

Outras novidades incluem escadas rolantes que diminuem a velocidade quando ninguém a está usando (finalmente!), e portas de vidro entre a plataforma e o trem, para evitar suicídios e quedas de objetos na via, duas coisas que sempre me preocupam. Enquanto a linha amarela não estreia, você pode ver as fotos que o G1 tirou na estação Paulista do metrô. E todas as novidades você confere na [Info; imagem via Skyscraper City]