Taxista: Viu aquela professora que foi demitida?
Eu: Que coisa, não? Uma bobagem. Ela tava à noite numa boate, nada a ver…  Cada um faz o que quer na sua vida privada. Tá certo que a música chama Todo enfiado, mas ah…
– É… O problema é que ela deixou um safado na plateia filmar…
– Ela não deixou. Hoje em dia qualquer celular tem câmera.
– Isso é foda. O problema é que em qualquer lugar que você vai hoje tem câmera. Você vê: eu tomo um remédio pra pressão que dá um mijadeiro danado…

…Umas 4 ou 5 horas depois que você toma, é pa pa pa pa. Aí, semana passada, eu tinha tomado o remédio de tarde, já era de noite (se eu tomar de noite eu não durmo). Eu tava no carro sem passageiro, e não ia molhar as calças. Tava aqui nos jardins, esse monte de casarão, e encostei o carro no lado da pista, detrás de um contêiner. Aí tô lá, tsh tsh tsssshhhh… Um minuto depois [A pessoa não seca depois de mijar por 1 minuto?] apareceu um segurança: "ô rapaz! Tu tá aparecendo mijando lá na nossa TV. Haha."
–  Você tava de frente pra uma câmera de segurança?
– Tinha mais de mil câmera ali, moço! O segurança foi decente, pelo menos, deixou eu terminar. Mas disse que se os donos tivessem lá dentro da casa e vissem a o que tava na câmera ia encher de pitbull pra cima de mim, né? Haha.
– Tem muita câmera porque tem muito assalto também. Você já foi assaltado muitas vezes aqui?
– Ontem fez 15 dias da última vez. Dois vagabundos colaram em mim quando eu saí do carro pra abrir o portão de casa. O cara disse que tinha uma arma.
– Ele tinha?
– Pois é. Eu falei pra ele: "Mostra a arma". O que eu vou dizer no ponto se alguém me assaltar sem arma?
– Não dá, né? Pega mal.
– Pois então. Aí o cara falou: "Tu tá pagando pra ver, é?" E eu: "Tô, ué. Trezentos reais que eu te dei. Haha". O maluco tava com arma mesmo, eu conferi. Aí dei dinheiro, celular. Porque se ele não tivesse armado eu ia pegar e bater a cabeça dos dois assim: tóff.  Haha.
– Mas diz aí: se tivesse uma câmera de segurança na frente da sua casa, você não acha que ia ter mais segurança? Você podia denunciar os malucos com a gravação.
– É…
– Esse monte de câmera pode ser bom, não?
– Nada… Acho que se tivesse câmera na frente da minha casa não ia dar um dia e o povo ia roubar. Povo rouba tudo que é tecnologia.
– Então tá.

Foi essa a conversa que eu tive com um taxista ontem de noite sobre o assunto do dia. Mostra o que a população pensa sobre vigilantismo e privacidade em tempos onde até seu microondas tem uma câmera.

Ou não. Era só um taxista com histórias bizarras tentando puxar papo (e eu dando corda).

Qualé, galera? É sábado!