Na Folha de hoje:

O médico Canrobert Oliveira, do Hospital Oftalmológico de Brasília, relata ter recebido pacientes com ardência nos olhos após terem visto filmes tridimensionais. Ele fez sugestões à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) pedindo uma ação conjunta com o CBO (Conselho Brasileiro de Oftalmologia) para fiscalizar a higienização nos cinemas.

 

O ponto do Canrobert é que esse lance de óculos ficar passando de olho em olho pode transmitir algumas bactérias e vírus, provocando inflamações – a córnea é um pedaço do corpo extremamente sensível. Isso pode dar desde alguma ardência à conjuntivite.  Por isso ele pede que as agências regulatórias prestem mais atenção e fiscalizem os cinemas: os óculos devem ser descartáveis ou passarem por um processo de higienização. Enquanto isso, o oftamologista sugere às pessoas que passem álcool gel nas lentes e armações dos óculos 3D.

Imagino que na sua casa, quando você tiver sua TV 3D, isso pode ser uma preocupação: quem poderá usar os seus óculos 3D super caros? Você vai limpar tudo depois? As empresas criarão óculos com bactericidas, ou todo mundo vai limpar direitinho depois de usar? Sei que o alerta do doutor Canrobert (grande cara!) é bem importante, e mais um empecilho pra tecnologia 3D pegar.  [Folha]