Não tem nada pior que receber email da mãe, pedindo pra "Add no Orkut / Facebook". E logo vêm aqueles recadinhos do tipo "Levou blusa, filho?". Ou amigos com "Seu Sobrenada, pego fácil a sua mãe, hein?" Por sorte – não sei exatamente de quem – existe uma rede social exclusivamente para ela, suas amigas, seu tio viúvo e seus pretês: o Broto Bacana.

Com nome de restaurante natureba, o site é voltado pra um público mais idoso em busca de relacionamentos e, quem sabe, algo mais. Lançado em Novembro de 2009, o Broto Bacana já contava com 500 usuários no segundo mês de existência – é bastante, convenhamos – e tem apostado na segmentação, porque panela velha é que faz comida boa, já diziam por aí. O duro é ver aquelas fotos terríveis tiradas em máquina de filme há não sei quantos anos e escaneadas pelo sobrinho.

Fiz um cadastro lá pra ver como funciona. O acesso é gratuito, e em poucos instantes pude acessar os demais usuários e ferramentas de interação. É bem parecido com sites de relacionamento mais conhecidos, possibilitando adicionar amigos, fotos e mandar mensagens particulares. A faixa etária da galera das pessoas lá é realmente mais avançada. E me pareceu haver mais mulheres do que homens. Mesmo assim, elas só têm à disposição outros caras mais velhos. Lobas que gostam de pegar rapazes não teriam vez.

Mesmo assim, tô fora. Perguntei pra uma senhora lá quantos anos ela tinha, e ela respondeu: "Todos".

Porra. Aí não dá. Enfim, é diferente.

Se vai dar certo é difícil de saber. O site realmente está engatinhando, como os seus usuários fizeram décadas atrás. Dá pra ver que ainda não decolou porque ele ainda não possui ads ou banners. 

Então, Viagra, tá esperando o quê?