Um dos fatores de sucesso do iPhone é sua interface de usuário: a experiência é simples mas bem-elaborada, algo pensado não só para nerds mas para o público em geral. Desde seu lançamento, em 2007, a concorrência segue tentando replicar essa experiência — ou reinventá-la. A Nokia parece estar atrás nessa corrida, pelo menos pelo que vimos da futura versão do Symbian. Mas, aqui na Bossa Conference, o estúdio de design do Instituto Nokia de Tecnologia mostrou tantas ideias legais, que não consigo evitar imaginar: e se esse pessoal pudesse reinventar o design do Symbian?

Quem nos contou as ideias e projetos de design no INdT foi o Marcelo Eduardo, gerente de design do instituto, aqui na Bossa Conference em Manaus. Os projetos têm como foco o design da experiência, ou seja, a forma e satisfação do usuário em utilizar programas. Eles não criam apps completos, apenas codificam a interface — o restante do trabalho cabe ao programador.

Dois projetos me chamaram a atenção: uma nova UI para celular, chamada Qt HyperUI; e uma interface para uma set-top box em um televisor CRT.

A interface para um conversor tenta resolver o seguinte problema: como acessar internet, fotos e vídeos em uma televisão que não seja HD, de forma agradável? O INdT criou uma interface para um conversor que considera as limitações da imagem da televisão, e o resultado é interessante. (Ah, sabia que a Nokia fazia conversores para TV?) Sim, você pode pensar que as pessoas não ligam mais para CRT, mas considerando que a Semp Toshiba ainda é a maior vendedora de TVs do Brasil (basicamente porque ainda fabrica os tubões), é legal ver alguém se preocupando com esse público.

  

Já a interface HyperUI tem alguns elementos já conhecidos de outros OS móveis, como a barra de notificação que se expande na tela e os atalhos fixos na parte inferior da tela. Mas ela com certeza é linda e, com alguns ajustes, seria legal vê-la nos futuros celulares da Nokia.

É claro que nem toda ideia gerada no INdT vira realidade: a interface do set-top box por exemplo, não foi pra frente. Mas algumas geram impacto, como esta interface de um editor de vídeo, ou esta interface para um app de tempo e temperatura.

O legal é que deu para sentir o potencial dessa equipe brasileira, que poderia, quem sabe, deixar o Symbian necessariamente mais bonito e provavelmente mais fácil de usar. Mas de fora, a impressão é que a Nokia é um bicho tão grande que as boas ideias não chegam até a parte de cima, que manda os designs para a fábrica. Já que tem tanto fã da Nokia aqui no Brasil, os finlandeses poderiam prestar mais atenção nas ideias saídas daqui, não? [Bossa Conference]

 

* O Gizmodo viajou para Manaus a convite do Instituto Nokia de Tecnologia, mas já está voltando para São Paulo com guaraná na mala — a fruta, não o refri.