Antes de você se animar, calma – ainda é tudo projeto. A ideia foi apresentada essa semana no seminário Construções Sustentáveis para uma Nova Economia e propõe que os edifícios troquem a estrutura elétrica por uma que economize energia, instalem mecanismos de controle do uso da água e troquem também os vidros por modelos que absorvem menos o calor. Assim, o uso do ar condicionado seria reduzido também.

No projeto está prevista também a construção de outros sete edifícios para abrigar órgãos governamentais que hoje estão espalhados por outros locais da cidade.

O projeto custaria R$ 1,6 bilhões e seria financiado por parceria público-privada. Mas a gente não pagaria nada, sabe por quê? Porque essa grana seria a economia em consumo de água e energia, segundo o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), Paulo Simão. Ele só não explicou em quanto tempo o projeto conseguiria economizar essa cacetada…

[PB: Como eu nasci e morei 25 anos por lá, posso dar o testemunho: Brasília é quente e os prédios da administração federal pioram sensivelmente as coisas. Os projetos do Niemeyer, com aquele concreto todo, podem ser bonitos por fora, com janelões e tudo. Mas demandam uma quantidade animal de ar-condicionado. Vai ser preciso mexer muita coisa pra "esverdear" a Esplanada, que fica meio marrom nos meses de seca. Tomara que dê certo.