Maior pterossauro da Terra tem seu mecanismo de voo revelado

O conjunto de fósseis do Quetzalcoatlus foi encontrado pela primeira vez em 1970, mas até hoje haviam dúvidas sobre seu comportamento

Maior pterossauro que já voou na Terra tem estratégia de voo revelada

Imagem: James Kuether/Reprodução

Douglas Lawson tinha 22 anos quando descobriu o conjunto de fósseis do Quetzalcoatlus, o maior pterossauro que já viveu na Terra. A descoberta aconteceu em 1970, no Parque Nacional de Big Bend, nos Estados Unidos.

O pterossauro gigante tinha cerca de três metros de altura e asas que alcançavam 12 metros de uma ponta a outra. O animal, que viveu há 70 milhões de anos, era uma verdadeira incógnita para os cientistas. Como ele andava? O que comia? Como voava? 

Lawson faleceu em 2013 e, infelizmente, não pôde entender essas questões a fundo. Só agora, com um conjunto de seis estudos sobre a espécie publicado no Journal of Vertebrate Paleontology, esses mistérios foram solucionados. 

Como os Quetzalcoatlus caminhavam? 

Pode parecer uma dúvida simples, mas não é. As asas do animal eram maiores que suas pernas, o que provavelmente tornava sua caminhada bem desajeitada. Para entender melhor o comportamento do pterossauro, a equipe de pesquisadores avaliou os fósseis antigos descobertos por Lawson e os comparou com amostras de uma espécie semelhante ao Quetzalcoatlus, porém menor. 

Anatomia do Quetzalcoatlus. Imagem: Desenho de John Conway/Reprodução

Além dos paleontólogos, engenheiros aeroespaciais e biomecânicos também entraram no desafio. O animal era bípede, ou seja, andava sobre duas pernas. Mas suas asas alongadas acabavam tocando o chão. Isso levou os pesquisadores a sugerir que o animal andava como um morcego-vampiro, forçando as asas no chão para impulsionar o corpo para frente. 

Após algumas análises, a hipótese caiu por terra. Os cientistas concluíram que sua caminhada era bem mais complicada do que isso: o animal erguia o braço esquerdo, avançava a perna esquerda e depois colocava a asa no chão novamente. Depois, repetia o processo com o outro lado do corpo. Rastros de pterossauros descobertos no sul da França na década de 1990 validam essa ideia. 

Qual era o mecanismo de voo do pterossauro?

A anatomia do animal confirma que ele era capaz de voar e fazia isso muito bem. Faltava entender como ele levantava voo. O tamanho do animal não permitia que eles corressem e nem mesmo batessem a asa ainda no chão. 

De acordo com os pesquisadores, eles usavam as patas traseiras para pular cerca de 2,5 metros de distância do solo – o dobro da altura de seu quadril –, e só então começavam a bater as asas. É o mesmo movimento feito pelas garças, embora elas sejam bem menores.

Como os Quetzalcoatlus se alimentavam?

Estes animais viviam em pântanos e campos abertos. Por conta disso, provavelmente se alimentavam de caranguejos, minhocas e mariscos, podendo ainda buscar por pequenos peixes, insetos, cobras e lagartos. 

Ele não tinha dentes e suas mandíbulas eram longas e finas. Isso impedia que eles comecem carniça, por exemplo, ou mesmo voassem sobre a água atrás de alimento, como os pelicanos. Mais uma vez, os cientistas creem que estes animais se comportavam como as garças na hora da caça.

Sair da versão mobile