Assim, mais de 1 milhão de pessoas serão identificadas pela impressão digital. Os cidadãos das 60 cidades escolhidas passaram pelo recadastramento, onde novas fotos e impressões dos dedos foram coletadas, além de ganharem um hotsite explicando como funcionará a votação. As fotos serão usadas pelos mesários, mas só em caso de a máquina não aceitar o dedão do usuário. Ou seja, não é o fim das convocações para mesários, mas se você quiser ser esperançoso, talvez o número de convocados diminua. Não é preciso tanta gente assim para checar fotos em um ou outro caso, certo?

A ideia do TSE é implementar o leitor biométrico com a mesma eficiência de sua urna eletrônica. Enquanto a atual foi utilizada pela primeira vez em 1996, em apenas 50 cidades, e já atinge hoje todo o território nacional, a previsão do TSE é que a biometria vire padrão até 2018. Para consultar as 60 cidades que utilizarão o sistema, a maioria na região nordeste, clique aqui. [Exame]