A primeira regra da notória gangue Brower Boys, do Brooklyn, é: você não fala sobre a gangue Brower Boys. A segunda é: a menos que seja no Facebook, ali tá tudo bem. Talvez fosse prudente incluir uma outra que proíba os membros de aceitarem convites de amizade de policiais antes de contar os feitos da gangue na rede social, não?

Bem-vindo à última edição de “criminosos fazendo idiotices no Facebook“. E talvez seja a melhor delas.

Os Brower Boys, um bando de jovens rebeldes que cometem todo tipo de delito, de roubos a agressões sexuais, fez de Crown Heights, no Brooklyn, seu território no decorrer do ano passado. E como quase todos os jovens costumam fazer, eles se gabam das suas façanhas no Facebook. Gabar-se, aqui, significa “publicar um vídeo” e façanhas, “roubar um monte de pessoas.”

Nenhum desses vídeos os colocariam em confusão necessariamente se eles tivessem tido o cuidado de criar um grupo dos Brower Boys (ou talvez um círculo no Google+?) para limitar o compartilhamento. Ou se eles não tivessem aceito um pedido de amizade do oficial do departamento de polícia de Nova Iorque, Michael Rodriguez. Quem precisa de um informante quando se tem um mural online?

O vídeo e outras atualizações incriminatórias no Facebook ajudaram os policiais a realizar 14 prisões no total e incríveis 102 acusações. Diremos isso mais uma vez: tenha cuidado com o que publica no seu perfil no Facebook. Ou melhor: se você for um criminoso, não tenha. [CBS]