Mergulhadores em busca de redes de pesca descartadas no Mar Báltico descobriram uma máquina eletromecânica de criptografia Enigma usada pelos nazistas na Segunda Guerra Mundial, entre 1939 e 1945.

De acordo com a agência AFP, uma equipe encontrou a máquina raríssima no mês passado na Baía Gelting, na Alemanha, que fica a cerca de 150 quilômetros ao norte de Hamburgo. O dispositivo, famoso por ser usado pelos nazistas para criptografar mensagens, foi descoberto pelo grupo World Wildlife Federation (WWF), que normalmente não está relacionado à arqueologia marinha, mas costuma fazer mergulhos em áreas remotas do fundo do mar.

Os mergulhadores alemães que trabalhavam em nome do grupo procuravam redes de pesca abandonadas, também conhecidas como “redes fantasmas”. Foi quando acidentalmente tropeçaram no artefato histórico.

Segundo Florian Huber, arqueólogo e mergulhador pesquisador, no dia da descoberta ele estava ajudando o WWF com seu programa de proteção ambiental. Até que um dos colegas de Huber fez mais um mergulho e encontrou o objeto por acidente. “Há uma rede ali com uma velha máquina de escrever”, disse à agência de notícias DPA. Em uma inspeção mais próxima, o grupo percebeu que havia encontrado uma peça usada em um dos momentos mais significativos da história da humanidade.

Imagem: Florian Huber

Na última sexta-feira (4), o grupo entregou a máquina Enigma a um museu alemão para restauração. Ulf Ickerodt, chefe do escritório arqueológico na região de Schleswig-Holstein, contou à DPA que o processo de restauração do aparelho será delicado, e a dessalinização da máquina sozinha pode levar mais de um ano inteiro. Quando estiver limpa, a peça ficará exposta em um museu.

Os nazistas usaram máquinas Enigma para criptografar e descriptografar mensagens de rádio transmitidas durante a guerra. No entanto, a inteligência britânica, em Bletchley Park, com a ajuda do matemático Alan Turing, quebrou o sistema em 1941 — e isso sem que os alemães desconfiassem de nada. A quebra criptográfica da máquina teve um impacto significativo no curso da guerra.

É difícil dizer como essa máquina em particular acabou no fundo do Mar Báltico. O historiador naval Jann Witt, da Associação Naval Alemã, disse à DPA que ela provavelmente foi lançada ao mar de um navio de guerra alemão durante os estágios finais da guerra, pois a unidade em questão tem três rotores, e não quatro (os rotores eram usados ​​para exibir diferentes letras do alfabeto.) Então, é possível que a máquina não tenha vindo de um submarino afundado, uma vez que esse tipo de embarcação alemã era equipada com versões mais complexas de quatro rotores, de acordo com Witt.

Milhares de máquinas Enigma foram produzidas pelos alemães nas décadas de 1930 e 1940, mas muito poucas foram localizadas. Aproximadamente 50 máquinas Enigma de vários tipos estão atualmente em exibição em museus ao redor do mundo, e algumas delas fazem parte de coleções particulares. Em 2015, uma Enigma M4 (quatro rotores) foi vendida em leilão por US$ 365 mil (R$ 1,8 milhão).