Recentemente, os telefones com “displays em cascata” se tornaram a nova moda – já vimos em dispositivos como o Vivo Nex 3 e Huawei Mate 30 -, mas no Mi Mix Alpha, a Xiaomi levou a ideia de uma tela envolvente para um novo lado… do telefone.

O que separa o Mi Mix Alpha de outros telefones com telas em cascata é que, em vez de simplesmente curvar sua tela pelas laterais do telefone, ela continua na parte traseira do telefone também, finalmente encontrando-se atrás na faixa fina que segura as câmeras traseiras do telefone.

De várias maneiras, a Xiaomi está adotando a tecnologia de exibição curva que a Samsung introduziu no Galaxy Note Edge em 2014 e levando essa ideia ao seu extremo lógico, criando algo único e incrivelmente futurista no processo.

Os fabricantes de smartphones não vão parar até criarem um dispositivo com 200% de tela. Foto: Xiaomi

Ao usar esse design, a Xiaomi afirma que criou um telefone com uma proporção absurda de 180% de tela, com a parte frontal do telefone servindo como uma tela normal, com os lados apresentando botões sensíveis ao toque para ajustar o volume, enquanto a tela na parte traseira é usada como uma espécie de centro de comando, mostrando notificações recentes, status da bateria, compromissos futuros e muito mais.

Por dentro, o Mi Mix Alpha vem com altas especificações, incluindo um chip Qualcomm Snapdragon 855+, 12 GB de RAM, 512 GB de armazenamento, carregamento rápido de 40 watts (e uma bateria de 4.050 mAh) e até suporte 5G.

Enquanto isso, na parte traseira, o Mi Mix Alpha possui mais um componente em sua câmera de 108 MP de alta resolução, que usa um grande sensor de 1/3,33 polegadas e combinação de pixels para capturar melhores fotos com pouca luz. E, como praticamente todos os outros telefones emblemáticos deste ano, o Mi Mix Alpha também vem com uma câmera de lente ultra-wide angle com resolução de 20 MP e uma câmera de lente telefoto com zoom óptico de 2x a 12 MP.

No entanto, se você estiver procurando por uma câmera selfie, bem, não há nenhuma, porque quando você quiser tirar uma foto do seu rosto, basta girar o telefone e usar as câmeras e tela traseiras.

Foto: Xiaomi

Por fim, apesar de a Xiaomi apresentar o Mi Mix Alpha como um dispositivo conceitual, como os membros anteriores da família Mi Mix, a Xiaomi realmente planeja vender o Mi Mix Alpha (em número limitado) a partir de dezembro por 19.999 yuan, o que corresponde a US$ 2.800, portanto mais caro que o Galaxy Fold nos EUA.

Isso significa quase US$ 1.000 a mais que o tão esperado Galaxy Fold da Samsung e US$ 200 a mais que o Huawei Mate X , embora sua tela seja feita de vidro em vez de plástico flexível, o Mi Mix Alpha deva ser um pouco mais durável do que seus concorrentes dobráveis ​​de alto preço.

Mi 9 Pro: topo de linha com suporte a 5G

Com preço mais acessível que o Mi Mix Alpha, o Mi 9 Pro é uma versão aprimorada do Mi 9 com especificações melhores e suporte para conexão 5G. O aparelho conta com processador Snapdragon 855 Plus, opções de 8 e 12 GB RAM, além de uma tela de 6,4 polegadas FHD+ OLED e câmeras de 48MP, 16 MP (wide-angle) e 12MP.

Xiaomi Mi 9 Pro

Apesar de os componentes já indicarem um celular de alta performance, um dos grandes destaques do Mi 9 Pro é seu carregamento rápido. De acordo com a Xiaomi, o carregamento sem fio de 30W permite que o aparelho atinja uma carga completa em apenas 69 minutos. Com o carregamento de 40W com fio, leva apenas 48 minutos para a bateria subir de 0% a 100%.

A versão de 8GB RAM e 128 GB de armazenamento do Mi 9 Pro 5G custará a partir de US$ 520, enquanto a de 256GB sai por US$ 535, e a de 12GB RAM + 215GB de armazenamento por US$ 605. Ainda não há informações se o modelo será disponibilizado em outros mercados além da China.

Colaborou Erika Nishida

[Android Central]