Micah Lee é o cara que criou o OnionShare, um software para transferência segura de arquivos. Mas, mais do que isso, ele também é meio que o guarda-costas digital de Glenn Greenwald, a cabeça responsável por impedir que os documentos vazados pos Edward Snowden não sejam hackeados. E o Mashable publicou um longo (e ótimo) artigo contando um pouco sobre a sua história.

Ele não está desde o começo com Greenwald: ele foi contratado em novembro de 2013 para ser o especialista em segurança na First Look Media, a empresa criada pelo jornalista após deixar o The Guardian. O papel de Lee na companhia era de garantir que os milhares de documentos vazados por Snowden fossem mantidos em segurança e não sofressem ataques de hackers. Até agora, ele conseguiu.

Lee é um hacker e ativista. Ele aprendeu a programar por conta própria na adolescência para criar videogames, e acabou pegando gosto pela coisa. Foi ativista durante a faculdade, e, em 2011, foi contratado pela Electronic Frontier Foundation, a organização de direitos digitais que era o “trabalho dos sonhos”, segundo Lee. Lá, ensinou técnicas de criptografia e segurança para iniciantes. Depois passou a ensinar jornalistas – e acabou se tornando uma fonte para eles quando buscavam informações sobre segurança. Quando Greenwald decidiu criar a First Look Media, logo pensou em Lee como peça fundamental na segurança da empresa – felizmente, o rapaz aceitou o desafio.

Desde seus primeiros dias na First Look Media, Lee teve que usar seus poderes de hacker. A empresa tem um escritório em Nova York, mas ele precisava se encontrar com Glenn Greenwald, que ainda trabalha da sua casa no Rio de Janeiro. O problema é que Lee não conseguiu marcar uma entrevista de visto para o Brasil em San Francisco – a data livre mais próxima ainda demoraria dois meses. O rapaz, então, criou um script para verificar possíveis cancelamentos de entrevistas no consulado. Em dois dias, conseguiu marcar uma data, conseguiu seu visto e veio para o Brasil. Ações como essa marcam o trabalho de Lee, como explica Greenwald ao Mashable: “É isso o que ele faz. Ele é brilhante ao encontrar soluções para todo tipo de desafio de programação de computadores.”

Suas ações seguintes envolvem a troca do sistema operacional de Greenwald (que mudou do Windows 8 para o Linux) e várias outras medidas de segurança no computador do jornalista e usou um software criado para policiais para fuçar nos documentos vazados por Snowden (que ficavam armazenados em um computador sem conexão com a internet). Passados dois dias na casa de Greenwald, ele voltou para os EUA.

Hoje, o guarda-costas digital prepara os sistemas para receber documentos classificados e manter o anonimato de quem os envia. Ele preparou também todos os jornalistas da First Look Media para que seus trabalhos sejam feito com bastante segurança – ele ensinou todo mundo a usar criptografia para suas comunicações através de softwares como PGP e OTR.

A longa história de Micah Lee pode ser lida na íntegra, em inglês, no Mashable. [Mashable]

Foto via Mashable