Daqui para a frente, a Microsoft só quer saber de Windows Phone. Satya Nadella já deixou claro que a empresa não fará mais smartphones com Android – futuros Nokia X vão rodar Windows Phone – e os celulares simples da empresa também serão eliminados.

De acordo com o TechCrunch, a Microsoft vai reduzir a produção da linha Asha e de celulares que rodam a plataforma Series 40 – aqueles bem básicos, com teclado alfanumérico e lanterninha.

O BGR India e o The Verge viram um memorando interno de Jo Harlow, chefe da divisão de celulares. Ela diz que a área de aparelhos simples vai entrar em “modo de manutenção”, ou seja: eles não receberão mais atualizações nem funções novas. A área será fechada gradualmente nos próximos 18 meses.

Alguns engenheiros serão realocados para desenvolver produtos com a próxima versão do Windows e Windows Phone, mas não todos. A Microsoft vai demitir 18.000 funcionários nos próximos doze meses; 12.500 deles vieram da Nokia. Segundo o BGR India, a maior parte dos demitidos trabalhava em aparelhos não-Lumia.

A Microsoft também quer se livrar do Xpress Browser e do Nokia MixRadio, e deve vendê-los para outra empresa. Enquanto isso, eles também entraram em “modo de manutenção”, sem receber novidades.

Nokia-515-jpg

Por que a Microsoft fez a “limpa” nos produtos da Nokia? Stephen Elop, chefe da divisão de dispositivos na Microsoft (e ex-CEO da Nokia), explica em um memorando interno obtido pelo BGR India:

… o papel dos celulares dentro da Microsoft é diferente do que era no Nokia. A parte de hardware para celulares na Nokia era um fim em si mesmo mas, dentro do Microsoft, todos os nossos dispositivos têm a intenção de incorporar o melhor das experiências da Microsoft para experiências de vida e trabalho…

Ou seja, todos esses celulares simples e aparelhos com Android não se alinham com a estratégia da Microsoft, que é fazer o Windows Phone vingar. Por isso, a empresa fará aparelhos mais baratos com o sistema, além de modelos top de linha que “nós anunciaremos muito em breve”, diz Jo Harlow em seu memorando. (Um deles pode ser o codinome McLaren.)

E como ficam as fábricas da Nokia ao redor do mundo, especialmente no Brasil? Elop diz:

Esperamos concentrar produção de celulares principalmente em Hanói, Vietnã, com alguma produção continuando em Pequim e Dongguan, China. Pretendemos mudar outras operações de fabricação para Manaus, e de reparação para Reynosa, México; além de iniciar uma saída faseada de Komaron, na Hungria.

Ou seja, parece que a fábrica de Manaus não deve sofrer com demissões em massa. Questionada como a Microsoft Brasil será afetada pela decisão, a empresa apenas disse ao Gizmodo Brasil que “o plano de reestruturação é uma ação global”.

Pelo visto, a “antiga Nokia” não tinha muito espaço dentro da Microsoft. Enquanto isso, a “nova Nokia”, separada da Microsoft, até desenvolve um launcher para Android. A empresa agora se dedica a instalar antenas de celular pelo mundo, oferecer o Here Maps e trabalhar com patentes e inovações na divisão de Tecnologias. [BGR India via TechCrunch; The Verge via ZDNet]