O Microsoft HoloLens é um headset de realidade mista que projeta hologramas sobre o mundo real. Ele roda a plataforma Windows Holographic, que recebeu atualizações esta semana para se aproximar da interface de PCs.

>>> Como você vai interagir com o futuro através do HoloLens
>>> Todos em uma sala poderão ser apenas hologramas com tecnologia da Microsoft

Com o “May 2016 Update”, o HoloLens pode rodar até 3 apps simultaneamente e tocar música em segundo plano. Ele ganhou suporte a mouse Bluetooth – o usuário verá o cursor do mouse na interface – e permite redimensionar apps na vertical. Ah sim, e o navegador Microsoft Edge agora tem abas, assim como no desktop.

microsoft hololens may 2016 (2)

Claro, há também novidades voltadas à holografia. É possível fixar fotos no mundo ao redor, como em paredes; e usar comandos de voz para ampliar hologramas ou para girá-los – o comando “face me” vira o objeto para você, por exemplo.

O HoloLens está sendo vendido a desenvolvedores nos EUA e Canadá em um esquema de convites; cada unidade custa US$ 3.000. A versão para consumidores, é claro, deve custar bem menos.

A Microsoft também anunciou que o Windows Holographic será aberto para as fabricantes criarem dispositivos de realidade mista. O sistema terá o modelo de interação por gestos e voz, APIs para os apps, e serviços dedicados do Xbox Live. É uma boa oportunidade para desenvolvedores, porque “todo app holográfico é um app universal do Windows” – já existem centenas dele na Loja do Windows 10.

Os interessados deverão comparecer ao evento WinHEC em novembro. Por isso, como nota o ZDNet, “é improvável que dispositivos novos e adaptados de parceiros rodando Windows Holographic estejam disponíveis para consumidores e empresas até pelo menos 2017”.

No entanto, a Microsoft adianta que já tem diversas parceiras para a realidade virtual – do Oculus Rift e HTC Vive, por exemplo – no Windows 10 para PCs. Isso inclui Intel, AMD, HTC, Acer, ASUS, Dell, HP, Lenovo e outras. A MSI, por exemplo, anunciou na feira Computex uma nova linha de notebooks para jogos dedicada à realidade virtual – e todos, claro, rodam Windows 10.

[Microsoft via ZDNet; Microsoft via VentureBeat]

Imagens via Microsoft