Nintendo, Microsoft e Sony enviaram uma carta ao governo dos EUA. O documento, assinado pelas três empresas, argumenta que as tarifas impostas a importações da China pelo presidente Donald Trump aumentarão os custos da produção de videogames, e que os americanos podem acabar pagando US$ 840 milhões a mais por causa da medida.

Segundo a carta das empresas, tirar parte da cadeia de produção da China para passá-la para os EUA ou para um terceiro país aumentará os custos em um valor acima das próprias tarifas de importação. As companhias também argumentam que seus consoles já são fabricados com margens pequenas de lucro.

“As tarifas provocariam uma ruptura significativa nos negócios de nossas empresas e acrescentariam custos significativos, que reduziriam as vendas de consoles de videogame e os jogos e serviços que impulsionam a lucratividade desse segmento de mercado”, diz a carta. Segundo as companhias, 96% dos videogames vendidos nos EUA no ano passado foram montados na China.

O aumento de 25% nos preços dos videogames faria com que muitas famílias não pudessem comprá-los no período de Natal. Isso também representaria um custo total de US$ 840 milhões a mais para os consumidores americanos.

Como nota a Vice, este é o mais recente movimento de setores contra as tarifas impostas à China pelo governo de Donald Trump, e especialistas já alertaram que os preços de muitos produtos, de termostatos inteligentes a peças de computador, deve subir por causa das taxas ou dos custos de realocação da produção para outros países, como Taiwan.

Você pode ler a carta de sete páginas na íntegra neste link.