De acordo com um novo rumor da Bloomberg News, fontes anônimas familiarizadas com o assunto afirmam que a Microsoft está em discussões para comprar a plataforma de bate-papo Discord. A venda, que está longe de ser um negócio fechado, pode valer mais de US$ 10 bilhões (R$ 55 bilhões). Ao mesmo tempo, o serviço de conversas online pode abrir capital próprio caso não consiga uma oferta aceitável.

A Bloomberg observa que o Discord teria entrado em negociações com outros compradores em potencial “no passado”, incluindo a Amazon e Epic Games (desenvolvedora de Fortnite), embora o cronograma para essas discussões não tenha sido esclarecido. Tanto a Microsoft quanto o Discord não responderam às perguntas enviadas por e-mail do Gizmodo US na noite desta segunda-feira (22).

Caso não receba nenhuma oferta maior ou mais vantajosa de compra, os informantes alegam que outra possibilidade para o Discord é abrir sua oferta pública de ações na Bolsa de Valores. Em todo o caso, os US$ 10 bilhões que a Microsoft estaria disposta a investir já é uma quantia maior do que a estipulada pelo Discord no final do ano passado, quando estimou valer US$ 7 bilhões.

Se a Microsoft vai desistir, caso as negociações estejam mesmo acontecendo, isso ainda é um mistério. Contudo, a empresa parece que irá levar o acordo até o final, uma vez que até o chefe da divisão Xbox, Phil Spencer, estaria envolvido nas conversas. Logo, é de se esperar que a plataforma de bate-papo poderia ser incorporada futuramente nos serviços online da empresa, entre eles o Xbox Game Pass.

Assine a newsletter do Gizmodo

Há rumores de que a Microsoft quase comprou uma série de propriedades de tecnologia diferentes nos últimos anos, embora algumas das mais conhecidas não tenham sido aprovadas. Em 2020, a companhia adquiriu a ZeniMax Media, dona da Bethesda Softworks, por US$ 7,5 bilhões. A Bethesda é a responsável por várias franquias de games, incluindo Doom e Fallout.

A Microsoft também se mostrou interessada em comprar o TikTok, quando o regime do agora ex-presidente Donald Trump tentava fazer com que o aplicativo baseado na China fosse vendido para uma empresa americana. A venda do serviço acabou fracassando quando Joe Biden assumiu a Casa Branca. Além disso, a Microsoft estaria interessada em comprar o Pinterest, mas pelo menos até agora, essa compra não foi concretizada.