Documentos revelados em uma ação judicial revelam que a Microsoft sabia que o Xbox 360 riscava discos quando era movimentado, mas recusou três possíveis soluções antes do lançamento do console.

Claro, isso não é exatamente chocante – o grande jornalista Dean Takahashi já revelou como o Xbox 360 tinha problemas desde antes de seu lançamento. Agora, os documentos informam que Hiro Umeno, um gerente de programa da Microsoft, disse em uma declaração que a equipe do drive de disco óptico sabia da questão dos discos riscados – o problema fora descoberto em setembro ou outubro de 2005.

As soluções consideradas – e rejeitadas – foram aumentar o campo magnético do suporte do disco (o que poderia interferir no mecanismo de abertura e fechamento), diminuir a velocidade de rotação do disco (poderia aumentar o tempo de carregamento) e instalar pequenos bumpers (muito caro, custaria algo entre US$ 35 milhões e US$ 75 milhões). Em vez disso, a Microsoft resolveu colocar um aviso no manual para não movimentar o console com os discos dentro – uma medida que a própria empresa achou insuficiente, de acordo com um e-mail interno. Um consultor do demandante nota que a Sony e a Nintendo “quase sempre incorporam a possibilidade de que um console possa ser movimentado enquanto um disco está girando dentro nos designs de seus produtos”.

A moral da história parece ser não comprar hardware rev. A da Microsoft, talvez a única grande empresa a não corresponder à nossa máxima de que é mais seguro do que nunca comprar hardware de primeira geração. [Seattle Tech Report via Xbox 360 Fanboy]